Extrema unção

O padre está ao lado do velhinho, no leito da morte, para dar-lhe a extrema-unção:

– Antes de morrer, reafirme sua fé em Nosso Senhor Jesus Cristo e renegue o Demônio!

O velhinho fica quieto. O padre insiste:

– Vamos lá… Quando se deixa este mundo, é preciso se preparar e renegar o mal para poder juntar-se ao Senhor o mais rápido possível… Por que voce não quer renegar o Demônio?

O velhinho, com voz trêmula, responde:

– Enquanto eu não souber para onde eu vou, não quero ficar mal com ninguém!

Anúncios

Chegando no Céu

O Céu estava ficando muito congestionado. Deus, então,decidiu modificar as normas para o ingresso nos portões celestiais.

A nova lei consistia no seguinte: para ser admitido no Céu, o dia da morte da pessoa deveria ser um dia realmente terrível. A lei entrou em
vigor a meia-noite do dia seguinte.

E, assim sendo, às 00h01, do dia em que entrara em vigor a nova lei, chega a primeira pessoa nos portões do Céu. O anjo encarregado do portão, lembrando-se da lei, prontamente perguntou ao homem:

– Antes de você entrar, é preciso que você me conte como foi que você passou o dia da sua morte.

– Sem problemas – disse o homem – Há algum tempo eu vinha desconfiando que minha mulher estava me traindo. Eu acreditava que todos os dias, na hora do almoço, ela trazia o amante para nosso apartamento, que ficava no 25º andar, e fazia sexo com ele. Então ontem, eu estava indo para casa a fim de pegá-los. Bem, cheguei la e entrei rapidamente, começando a procurar o tal rapaz. Minha esposa estava semi-nua e gritando comigo, enquanto eu dava uma busca no apartamento, mas não conseguia encontra-lo de jeito nenhum! Quando eu ja estava desistindo de procurar, olhei para a sacada do apartamento e percebi que havia uns dedos dependurados lá. O diabo do rapaz achava que poderia se esconder de mim! Foi aí que eu corri pra sacada e bati nos dedos dele, até que o safado largou e caiu lá de cima. Mas você não pode imaginar a sorte do rapaz, pois ele caiu em cima dos galhos de uma imensa árvore que existe em frente ao prédio, que amorteceram a sua queda, e ele não morreu. Eu, ainda no meu excesso de raiva entrei no apartamento e peguei a coisa mais pesada que tivesse pra jogar em cima dele. Desliguei a geladeira da tomada e, furioso, a atirei do 25º andar bem em cima dele. O problema é que, no estado de emoção em que eu me encontrava, somado ao imenso esforço que eu fiz para atirar a geladeira sobre o amante da minha mulher, eu tive um ataque cardíaco e morri, quase que instantaneamente.

O anjo sentou-se e pensou por alguns instantes. Afinal de contas o rapaz, tecnicamente, teve um péssimo dia e o crime dele foi passional, pelo que o anjo lhe disse:

– Ok, meu senhor, seja bem-vindo ao Reino dos Céus, e deixou o rapaz entrar.

Poucos segundos depois chegou o próximo da fila, sendo logo advertido pelo anjo:

– Eis as regras, antes de deixa-lo entrar, preciso ouvir a respeito do dia da sua morte.

– Claro, respondeu o homem. Eu estava na sacado do meu apartamento, que fica no 26º andar fazendo meus exercícios diários quando, de repente, escorreguei e caí pela sacada! Por sorte, eu fui capaz de me segurar na sacada logo abaixo da minha. Porém, qual não foi a minha surpresa quando apareceu um homem maluco e, ao invés de me ajudar, ficou batendo nos meus dedos até que eu soltasse e, obviamente, caísse lá de cima, o que ocorreu. Entretanto, eu não morri com a queda pois caí sobre os galhos de uma grande árvore que fica em frente ao prédio e que amorteceram a minha queda. Enquanto eu estava lá, na árvore, todo arrebentado, de rosto para cima, incapaz de me mover e gemendo de dor, eu vi o mesmo homem empurrar uma geladeira pela sacada e ela caiu exatamente em cima de mim e me matou.

O anjo quieto e rindo para si mesmo, enquanto o homem terminava sua história, pensou e disse:

– Muito bem! Bem-vindo ao Reino dos Céus, e deixou o homem entrar.

Poucos segundos depois, o terceiro homem da fila chega ao portão, ao que o anjo logo lhe indagou:

– Conte-me, rapaz, como foi o dia em que você morreu.

– Tá legal, eu conto, mas você não vai acreditar. Eu estava pelado, dentro de uma geladeira…

Caminho do Céu

Igreja lotada, o padre interrompe o sermão e pergunta:

– Quem deseja ir para o céu levante a mão!

Todo mundo levanta a mão, menos um sujeito sentado na primeira fila, caindo de bêbado.

– O senhor não quer ir para o céu quando morrer? – pergunta-lhe o padre.

E o bêbado:

– Ah… Quando morrer eu quero! Pensei que o senhor tava organizando a caravana pra hoje!

Duas amigas no Céu

Duas amigas encontram-se no céu e uma pergunta para a outra:
– Como você morreu?
– Congelada.
– Ai que horror!!! Deve ter sido horrível!
– Como é morrer congelada?
– No começo é muito ruim: primeiro são os arrepios, depois as dores nos dedos das mãos e dos pés, tudo congelando… Mas, depois perdi a consciência.
– E você, como morreu?
– Eu? De ataque cardíaco. Eu estava desconfiada que meu marido me traía. Um dia cheguei em casa mais cedo. Corri até ao quarto e ele estava na cama, calmamente assistindo televisão. Desconfiada, corri até o porão, para ver se encontrava alguma mulher escondida, mas não encontrei ninguém. Corri até o segundo andar, mas também não vi ninguém. Subi até o sótão e, ao subir as escadas, esbaforida, tive um ataque cardíaco e caí morta.
– Que pena…Se você tivesse procurado no freezer, nós duas estaríamos vivas…

No portão do Céu

Um rapaz está no portão do céu, esperando para ser admitido, enquanto São Pedro folheia o livro sagrado, checando toda a vida dele para ver se ele foi um garoto de valor. Depois de um bom tempo, São Pedro olha severamente para ele e diz:

– Não vejo nada que seja realmente ruim em sua vida, mas também não há nada que seja realmente bom. Se você me provar que fez algo REALMENTE bom, você está dentro.

O garoto pensa por alguns instantes e diz:

– Ahhh, teve uma vez que eu estava indo pela estrada quando vi uma gang gigante de motoqueiros mexendo com uma garotinha indefesa. Diminui a velocidade para ter certeza do que estava acontecendo. Vi uns 50 deles tentando tirar as roupas da mocinha. Parei meu carro, peguei um bastão de baseball e fui em direção ao líder da gang, um cara com uma jaqueta de couro com uma estampa de tigre. Ele tinha uma corrente amarrada da orelha esquerda até o nariz. Enquanto me aproximava dele, os membros da gang foram fazendo uma roda em volta de mim. Arranquei a correntinha da cara dele e dei-lhe uma pancada com meu bastão. O cara foi pro chão com um só golpe. Depois disso eu virei para todos eles e disse: Deixem esta garota em paz. Vocês não passam de um bando de bostas! Voltem para suas casas antes que eu perca a paciência e acabe com suas raças, seus animais!

São Pedro, realmente impressionado perguntou:

– E quando isso aconteceu?

– Ah, faz uns dez minutos…

 

E o engenheiro foi para o inferno…

Um engenheiro morreu e foi aos portais do céu. São Pedro checou seu dossiê e disse:

– Ah, você está no lugar errado.

Então o engenheiro foi aos portais do inferno e foi admitido. Mal havia sido admitido, o engenheiro já estava insatisfeito com o desconforto no inferno, e começou projetando e construindo melhorias.

Pouco tempo depois, eles tinham conseguido ar condicionado, banheiros reformados e escadas rolantes, e o engenheiro era um cara muito popular.

Um dia Deus chamou Satã ao telefone e disse ironicamente:

– Então, como estão as coisas aí em baixo, no inferno?

Satã respondeu,

– Ah, esta tudo muito bem. Nós agora temos ar condicionado, banheiros reformados e escadas rolantes, e isso sem falar o que este engenheiro está planejando para depois.

Deus respondeu:

– O que? Vocês têm um engenheiro? Isso foi um engano ele nunca deveria ter descido para o
inferno. Mande-o subir aqui.

Satã disse:

– Sem possibilidade. Eu gostei de ter um engenheiro na equipe, e continuarei mantendo-o.

Deus disse:

– Mande-o voltar aqui ou eu tomarei as medidas legais.

Satã soltou uma gargalhada e respondeu:

– Tudo bem. Mas onde você irá conseguir um advogado aí no céu?