Bichinha no médico

A bichinha vai ao médico, este encosta o estetoscópio em suas costas e diz:
– Por favor, diga 33!
– Trinta e três – responde a bichinha, com voz afetada!
– Muito bem, – ele muda a posição do estetoscópio. – Novamente.
– Trinta e três!
O médico coloca o estetoscópio no peito do seu cliente:
– Diga 33!
– Trinta e três!
– Ótimo! Mais uma vez!
– Trinta e três!
– Perfeito, agora vamos examinar a próstata!
A bichinha se põe de quatro, abaixa as calcas e o médico mete o dedo no rabo dela.
– Diga 33 – diz ele, descuidado.
– Um… Dois… Três… Quatro…

Anúncios

Sabedoria oriental

Um médico chinês não consegue encontrar um emprego em hospitais no Brasil, então ele abre uma clínica e coloca uma placa com os dizeres: “Tenha tratamento por R$ 20. Se não ficar curado, devolvo R$ 100.”
Um advogado vê a placa, pensa que é uma grande oportunidade de ganhar R$ 100 e entra na clínica.
Advogado: “Eu perdi o meu sentido do paladar.”
Chinês: “Enfermeira, traga o remédio da caixinha 22 e pingue 3 gotas na boca do paciente.”
Advogado: “Credo, isso é querosene!”
Chinês: “Parabéns, o seu paladar foi restaurado. Me dê R$ 20.”
O advogado irritado volta depois de alguns dias para recuperar o seu dinheiro.
Advogado: “Eu perdi minha memória não me lembro de nada.”.
Chinês: “Enfermeira, traga o remédio da caixinha 22 e pingue 3 gotas na boca do paciente.”
Advogado: “Mas aquilo é o querosene de novo. Você me deu isso da última vez para restaurar o meu paladar.”
Chinês: “Parabéns, você recuperou sua memória. Me dê R$ 20.”
O advogado já fumegante paga o chinês, e volta uma semana mais tarde determinado a ganhar os R$ 100.
Advogado: “Minha visão está muito fraca e eu não consigo ver nada.”
Chinês: “Bem, eu não tenho nenhum remédio para isso, sendo assim tome este R$ 100.”
Advogado: “Mas isso aqui é uma nota de R$ 20!”
Chinês: “Parabéns, sua visão foi restaurada. Me dê R$ 20.”

O médico e o bêbado

É um bêbado notório que vai procurar o médico. Ele se queixa de vômitos crônicos:

– Doutor, não é possível, todo dia acordo com náusea. E tenho que vomitar.

O médico o examina com todo o cuidado, e diz ao paciente:

– Não vejo nada… Talvez seja o álcool…

– Tá bom, doutor, eu volto quando o senhor estiver sóbrio!