Leilão Conturbado

O Estádio Olímpico estava com lotação máxima no jogo final do Campeonato Gaúcho, entre Grêmio e Internacional. No intervalo do jogo, que estava empatado em 2 a 2, houve um rápido leilão, que tinha como objetivo vender peças históricas, como camisas autografadas, quadros, bolas etc.
Infelizmente, houve um imenso tumulto no leilão, muita discussão, brigas entre os torcedores e o jogo teve de ser adiado.
A confusão começou quando o principal organizador do leilão lançou a primeira pergunta:
– Quem dá mais?

Anúncios

O marido do ano

O cara tinha dois ingressos para a final da Copa do Mundo, no melhor camarote do estádio. Quando ele estava sentado no seu lugar, aguardando o inicio do jogo, um torcedor nota que o lugar ao lado do homem estava vago. O torcedor pergunta então se o assento está ocupado.

– Não, não está ocupado – responde o homem.

Assombrado, o torcedor diz:

– É incrível! Quem, em seu juízo perfeito, tem um lugar como este, para a final da Copa, o evento mais importante do mundo, e não o usa?

O homem fixa o olhar nos olhos do cidadão e responde:

– Bom, na realidade, o lugar é meu. Eu comprei o ingresso faz muito tempo. Minha esposa viria comigo, mas ela faleceu. Este é o primeiro Mundial a que não assistiremos juntos, desde que nos casamos, há vinte anos.

Surpreso, o outro diz:

– Mas você não encontrou outra pessoa que pudesse vir no lugar da sua esposa? Um amigo, um vizinho, um parente ou outra pessoa chegada?

O homem nega com a cabeça e responde:

– Não, estão todos no velório…

Semelhanças

No futebol, como no sexo, as pessoas suam ao mesmo tempo, avançam e recuam, quase sempre vão pelo meio, mas também caem para um lado ou para outro e, às vezes, há um deslocamento. Nos dois é importantíssimo ter jogo de cintura.

No sexo, como no futebol, muitas vezes acontece um cotovelo no olho sem querer, ou um desentendimento que acaba em expulsão. Aí um vai para o chuveiro mais cedo.

Dizem que a única diferença entre uma festa de amasso e a cobrança de um escanteio é que na grande área não tem música, porque o agarramento é o mesmo… e no escanteio também tem gente que fica quase sem roupa.

Também dizem que uma das diferenças entre o futebol e o sexo é a diferença entre camiseta e camisinha. Mas a camisinha, como a camiseta, também não distingue; ela tanto pode vestir um craque como um medíocre.

No sexo, como no futebol, você amacia no peito, bota no colo, cadencia e tem que ter uma explicação pronta na saída para o caso de não dar certo.

No futebol, como no sexo, tem gente que se benze antes de entrar e sempre sai ofegante.

No sexo, como no futebol, tem o feijão com arroz, mas também tem o requintado, a firula e o lance de efeito.

No sexo também tem gente que vai direto no calcanhar. E tanto no sexo quanto no futebol, o som que mais se ouve é aquele “uuu”.

No fim, sexo e futebol só são diferentes mesmo, em duas coisas… No futebol não pode usar as mãos. E o sexo, graças a Deus, não é organizado pela CBF.

(Luís Fernando Veríssimo)

Regras para uma boa partida de futebol de rua

1. A BOLA
A bola pode ser qualquer coisa remotamente esférica. Até uma bola de futebol serve. No desespero, usa-se qualquer coisa que role, como uma pedra, uma lata vazia ou a merendeira do irmão menor.

2. O GOL
O gol pode ser feito com o que estiver à mão: tijolos, paralelepípedos, camisas emboladas, os livros da escola e até o seu irmão menor.

3. O CAMPO
O campo pode ser só até o fio da calçada, calçada e rua, rua e a calçada do outro lado e, nos clássicos, o quarteirão inteiro.

4. DURAÇÃO DO JOGO
O jogo dura até a mãe chamar ou escurecer. Nos jogos noturnos, até alguém da vizinhança ameaçar chamar a polícia.

5. FORMAÇÃO DOS TIMES
Varia de 4 a 70 jogadores de cada lado.
Ruim vai para o gol.
Perneta joga na ponta, esquerda ou a direita, dependendo da perna que faltar.
De óculos é meia-armador, para evitar os choques.
Gordo é beque.

6. O JUIZ
Não tem juiz.

7. AS INTERRUPÇÕES
No futebol de rua, a partida só pode ser paralisada em 3 eventualidades:
a) Se a bola entrar por uma janela. Neste caso os jogadores devem esperar 10 minutos pela devolução voluntária da bola. Se isso não ocorrer, os jogadores devem designar voluntários para bater na porta da casa e solicitar a devolução, primeiro com bons modos e depois com ameaças de depredação.
b) Quando passar na rua qualquer garota gostosa.
c) Quando passarem veículos pesados. De ônibus para cima. Bicicletas e Fusquinhas podem ser chutados junto com a bola e, se entrar, é Gol.

8. AS SUBSTITUIÇÕES
São permitidas substituições no caso de um jogador ser carregado para casa pela orelha para fazer lição ou em caso de atropelamento.

9. AS PENALIDADES
A única falta prevista nas regras do futebol de rua é atirar o adversário dentro do bueiro.

10. A JUSTIÇA ESPORTIVA
Os casos de litígio serão resolvidos na porrada.

Máximas do Futebol

“Não foi nada de especial, chutei com o pé que estava mais à mão!”
(João Pinto, jogador do Futebol Clube do Porto, de Portugal)

O meu clube estava à beira do precipício, mas tomou a decisão correta: Deu um passo à frente.”
(João Pinto, jogador do Futebol Clube do Porto, de Portugal)

“O difícil, vocês sabem, não é fácil…”
(Vicente Matheus, eterno presidente do Corinthians)

“Clássico é clássico e vice-versa…”
(Jardel, ex-atacante do Grêmio e Seleção Brasileira)

“Jogador é o Didi, que joga como quem chupa laranja…”
(Nenem Prancha, ex-roupeiro do Botafogo, ex-técnico de futebol de praia e filósofo da bola)

“Chegarei de surpresa dia 15, às duas da tarde, vôo 619 da VARIG…”
(Mengalvio, ex-meia do Santos, em telegrama mandado à família quando em excursão à Europa)

“No México que é bom. Lá a gente recebe semanalmente, de quinze em quinze dias…”
(Ferreira, ex-ponta-esquerda do Santos)

“Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde Cristo nasceu…”
(Claudiomiro, ex-meia do Internacional-RS ao chegar em Belém do Pará para disputar uma partida contra o Paysandu pelo Brasileirão de 72)

“Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe”
(Jardel, ex-atacante do Grêmio)

“Não sei, chutei, a bola foi indo, indo… e iu!”
(Nunes, ex-atacante do Flamengo ao descrever um gol que tinha feito)

“Fiz que fui, não fui, e acabei fondo!”
(Nunes, ex-atacante do Flamengo)

“Tanto na minha vida futebolística quanto com a minha vida ser humana…”
(Mais uma vez o Nunes, ex-atacante do Flamengo, em uma entrevista antes do jogo de despedida do Zico)

“Não venham com problemática que eu tenho a solucionática”
(Dadá Maravilha, ex jogador de futebol e primeiro marqueteiro do nosso futebol)

“Só existem três coisas que param no ar: Beija-Flor, Helicóptero, e Dadá.”
(O mesmo Dadá Maravilha da frase anterior)

“Eu disconcordo com o que você disse”
(Vladimir, ex-meia do Corinthians em uma entrevista à Rádio Record)

“A moto eu vou vender, e o rádio eu vou dar pra minha tia”
(Josimar, ex-lateral direito do Botafogo ao responder a um reporter que iria fazer com o Motoradio que ganhou como melhor jogador da partida)

“Bom, eu não achei nada, mas o meu companheiro ali achou uma correntinha, acho que é de ouro, da pra ele vender!”
(O mesmo Josimar ao ser perguntado o que ele achou do jogo)

“Nem que eu tivesse dois pulmões eu alcançava essa bola ”
(Bradock, amigo de Romário reclamando de um passe longo)

“Realmente minha cidade é muito facultativa”
(Elivelton, ao reporter da Jovem Pan que falava das muitas escolas de ensino superior existentes na cidade natal do jogador)

“A partir de agora meu coração tem uma cor só: rubro negro”
(Fabão, zagueiro baiano ao chegar ao Flamengo)

“Campeonatinho mixuruco, nem tem segundo turno!”
(Garrincha durante a comemoração da conquista da Copa do Mundo em 58)

“Você viu, Didi, o São Cristovão está de uniforme novo!”
(Garrincha, em 62 no Chile, reparando no uniforme dos ingleses)

“Eu o Paulo Nunes e o Dinho vamos fazer uma dupla sertaneja.”
(Jardel, ex-atacante do Grêmio)