Utilidade da Educação

Um suíço, à procura de orientação sobre o caminho, pára seu carro ao lado de outro com dois brasileiros dentro.

– Entschuldigung,koennen Sie Deutsch sprechen?,perguntou o suíço.

Os dois brasileiros ficaram mudos.

– Excusez-moi, parlez vous Français?, tentou ele.

Os dois continuaram a olhar para ele impávidos e serenos.

– Prego signori, parlate Italiano? Nada por parte dos brasileiros.

Hablan ustedes Español? Nenhuma resposta.

– Please, do you speak English?

Nada… Angustiado, o suíço desiste e vai embora.

Palocci vira-se para Lula e diz:

– Talvez devêssemos aprender uma língua estrangeira.

– Mas pra quê companheiro?, pergunta Lula. Aquele idiota sabia cinco e não adiantou coisa alguma!

Repita, por favor

Um dia ensolarado do ano 2007 um homem idoso se aproximou do Palácio da Alvorada, depois de atravessar a Praça dos Três Poderes, e falou com o “Dragão da Independência” que montava guarda ao estabelecimento:

– Eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Lula.

O Soldado olhou para o homem e disse:

– Senhor, o Sr. Lula não é presidente e não mora mais aqui há algum tempo.

O homem disse:

– Está bem – e se foi.

No dia seguinte, o mesmo homem idoso se aproximou do Palácio da Alvorada e falou com o mesmo “Dragão”:

– Eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Lula.

O Soldado novamente disse:

– Senhor, como lhe falei ontem, o Sr. Lula não é presidente nem mora mais aqui há algum tempo.

O homem agradeceu-lhe e novamente se foi.

No terceiro dia, o mesmo homem idoso se aproximou do Palácio Alvorada e falou com o mesmo guarda:

– Eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Lula.

O Soldado, compreensivelmente irritado, olhou para o homem e disse:

– Senhor, este é o terceiro dia seguido que o Sr. vem aqui e pede para falar com o Sr. Lula. Eu já lhe disse que ele não é mais o presidente nem mora mais aqui há algum tempo. O Senhor não entendeu?

O velho homem olhou para o brioso soldado e disse:

– Sim, eu compreendi perfeitamente, mas eu adoro ouvir isso!

O soldado ficou em posição de sentido, prestou uma vigorosa continência e disse:

– Vejo-o amanhã… senhor!

Tartaruga num poste

Um rapaz passava por uma praça pública quando resolveu dar uma esfriada na cabeça e sentou em um banco, ao lado de um senhor já idoso. Puxando assunto sobre a vida, começaram a conversar sobre o país, o governo e, fatalmente, sobre o Lula.

E o velhinho disse:

– Bom, o senhor sabe, o Lula é uma tartaruga num poste.

Sem saber o que o velho quis dizer, ele perguntou o que era uma “tartaruga num poste”.

A resposta foi:

– É quando o senhor vai indo por uma estradinha e vê um poste, desses de cerca de arame farpado, com uma tartaruga em cima dele. Isto é uma tartaruga num poste.

Diante do ar de interrogação na cara do empresário, o velho explicou:

– Primeiro, você não entende como ela chegou lá; segundo, você não acredita que ela esteja lá; terceiro, você sabe que ela não subiu lá sozinha; quarto, você sabe que ela não deveria e nem poderia estar lá; quinto, você sabe que ela não vai conseguir fazer absolutamente nada enquanto estiver lá. Então tudo o que temos a fazer é ajudá-la a descer de lá.

Nomes

Sabedoria popular

A caravana do governo seguia pelo interior do Piauí, em vários carros. Todo mundo disfarçado de povo.

Lá pelas tantas, no meio do poeirão, bate aquela sede, e o vosso presidente manda parar junto da primeira casa no caminho para beber um pouco de água.

Diante do pedido daqueles homens importantes, tudo doutor, a dona do casebre, hospitaleira como todo sertanejo, grita para o menino de uns 9 anos que estava sentado na porta:

– Luís Inácio! Corre aqui, jegue! Traiz a quartinha e as caneca prus dotô bebê água!

Lula, todo vaidoso, pergunta:

– Eu vi que a senhora chamou o garoto de Luís Inácio. Ele tem esse nome em homenagem a alguém?

E ela, sem nunca imaginar que era o presidente em pessoa que estava ali,responde:

– Não, dotô, na verdade o nome dele é Jair Messias, mas é que urtimamente esse minino deu prá bebê, roubá, minti e fazê tanta merda, que nóis apelidô ele anssim…

Solidariedade

Morre Lula e o funeral é no Palácio do Planalto. Aos lados do caixão tem uma guarda de soldados.

Nisso aparece uma velhinha com uma sacola de comida e começa a por dentro do caixão cenouras, tomates, alfaces enquanto os soldados olham para ela surpresos.

Enquanto a velha continua a pôr alimentos no caixão, um dos soldados pergunta para ela:

– “Senhora, por favor, o que você está… fazendo?”

A velha, enquanto continua a por comida, responde:

– “O que você quer, porra? Que os coitados dos vermes comam somente merda?”