Saindo pela culatra

Uma mulher viaja por dois dias para visitar uma amiga doente. Quando ela volta ao apartamento, o seu filhinho a abraça dizendo:

– Mamãe, mamãe, adivinha o que aconteceu? Ontem, enquanto eu estava brincando dentro do seu armário, o papai entrou no quarto com a vizinha, eles tiraram a roupa, deitaram na cama, o papai pulou em cima dela e…

A mãe cobre a boca do menino com a mão e diz:

– Não diga mais nada agora, meu filho. Vamos esperar seu pai voltar e você repete isso, ok?

O pai volta do trabalho e a mulher lhe joga na cara:

– Vou embora. Vou fazer as malas e vou embora.

– Mas por que?

A mãe, volta-se para o menino e diz:

– Fala, filho. Conta pra ele o que você me falou.

E o garotinho:

– Ontem, enquanto eu estava brincando dentro do seu armário, o papai entrou no quarto com a vizinha, eles tiraram a roupa, deitaram na cama, o papai pulou em cima dela e eles fizeram igualzinho a você e tio Manoel, quando papai viajou no mês passado.

Anúncios

Lá em Goiânia…

Sábado, como de hábito, o goianinho levantou cedo, vestiu-se silenciosamente, chupou uma manga, comeu uma fatia de queijo, um pouco de curau e mais uma pamonha, e até passeou com o cachorro.

Em seguida enterrou o chapelão na cabeça, foi até a garagem e engatou o barco de pesca na sua pick-up 4×4.

De repente, começou a chover torrencialmente. Aquela chuva forte que costuma alagar a cidade e derrubar árvores em cima dos carros, ventos a mais de 80 km/h. Liguou o rádio na Terra Fm e entre uma musica de chora corno e outras ouviu que o tempo seria chuvoso durante todo aquele dia.

Voltou imediatamente pra Casa pois goiano tem um medo danado de chuva, silenciosamente tirou a roupa e deslizou rapidamente para debaixo dos lençóis. Afagou as costas DA sua mulher suavemente e sussurrou: “O tempo lá for a está terrível”.

Ela, ainda meio adormecida, respondeu: “Você acredita que o idiota do meu marido foi pescar com esse tempo?”

Acidente Indecente

O sujeito está sozinho em casa, assistindo futebol e tomando sorvete, quando de repente toca o telefone:
– Alô! O senhor é o marido da Helena?
– Sou eu mesmo! Por quê?
– Tenho uma notícia um tanto desagradável para lhe dar: ela estava no banco de passageiro de uma Ferrari conversível que capotou três vezes na Avenida Central!
– Meu Deus! – grita o marido, desesperado – Ela morreu?
– Não… O motorista morreu… Mas a sua esposa foi jogada para fora da Ferrari, caiu em cima de um arbusto e acabou escapando ilesa!
– Ufa, que alívio! – desabafou o marido – Então eu não tenho razão para me preocupar…
– Tem sim! – continuou o informante – Você nem imagina o que ficou preso na boca dela!

A barba

O sujeito está no motel com a amante, curtindo o pós-coito, quando ela resolve interromper o silêncio:
– Ricardo, por que você não corta essa barba?
– Se dependesse só de mim… – retruca – Você sabe que minha mulher seria capaz de me matar se eu aparecesse sem barba.
– Ora, querido – insiste a amante – Faça isso por mim, por favor…
O sujeito continua dizendo que não dá, até que não resiste às súplicas da amante e resolve atender ao pedido. Depois do trabalho ele passa no barbeiro, em seguida vai a um jantar
de negocios e quando chega em casa a esposa já está dormindo. Assim que ele se deita, sente a mão da esposa afagando o seu rosto e a sua voz sonolenta:
– Carlão, voce ainda está aqui? Vai embora! O meu marido já está
pra chegar…

 

Preocupações

O sujeito telefona pra o médico da família, apavorado.
– Doutor, tô ferrado!
– O que foi? – pergunta o médico, com ar preocupado.
– É que o meu filho pegou uma gonorréia!
– Mas isso não é grave! Atualmente, essa doença é muito fácil de curar!
– Pois é, doutor! Mas acontece que depois ele transou com a empregada!
– Entao é bom avisá-la o quanto antes!
– Mas, doutor! Acontece que eu também transei com a empregada!
– Tudo bem, então o senhor vai ter de se tratar também!
– É que depois disso eu transei com a minha mulher!
– Putz! Tô ferrado!

Voltando de Viagem

Ao chegar de viagem, dona Tereza pergunta para o filho de cinco anos:
– E aí, Joãozinho? Correu tubo bem por aqui na minha ausência?
– Tudo mamãe! Só teve um dia que deu uma chuva muito forte e eu fiquei com medo e o papai veio dormir com eu.
– Comigo, Joãozinho! – corrigiu a empregada.
– Não, Maria! Isso foi no sábado! Eu estou falando de domingo, quando choveu!