Lá em Goiânia…

Sábado, como de hábito, o goianinho levantou cedo, vestiu-se silenciosamente, chupou uma manga, comeu uma fatia de queijo, um pouco de curau e mais uma pamonha, e até passeou com o cachorro.

Em seguida enterrou o chapelão na cabeça, foi até a garagem e engatou o barco de pesca na sua pick-up 4×4.

De repente, começou a chover torrencialmente. Aquela chuva forte que costuma alagar a cidade e derrubar árvores em cima dos carros, ventos a mais de 80 km/h. Liguou o rádio na Terra Fm e entre uma musica de chora corno e outras ouviu que o tempo seria chuvoso durante todo aquele dia.

Voltou imediatamente pra Casa pois goiano tem um medo danado de chuva, silenciosamente tirou a roupa e deslizou rapidamente para debaixo dos lençóis. Afagou as costas DA sua mulher suavemente e sussurrou: “O tempo lá for a está terrível”.

Ela, ainda meio adormecida, respondeu: “Você acredita que o idiota do meu marido foi pescar com esse tempo?”

Anúncios

O engenheiro e o sapo

Um engenheiro atravessa a rua quando ouve um sapo chamando-o. Ele pega o sapo e esse diz:
– Hei, se você me beijar eu viro uma princesa maravilhosa e fico com você uma semana.
O engenheiro não diz nada e coloca o sapo no bolso. Logo em seguida o sapo insiste:
– Se você me beijar eu viro uma linda princesa e você poderá fazer o que quiser comigo durante uma semana.
O engenheiro não se comove nem um pouco. O sapo continua:
– Hei, o que é que está acontecendo com você? Eu estou dizendo para você que eu viro uma princesa linda e que sou sua por uma semana para você fazer o que quiser e você não quer me beijar! Você é viado?
– Olha para mim – diz o engenheiro – Sou engenheiro, e não tenho tempo para essas coisas. Em compensação, um sapo que fala…

Doeu?

É um casamento entre duas famílias na Irlanda. Lógico, durante a festa, bem regada a uísque e cerveja, uma briga estoura. A polícia chega para acalmar os ânimos, e, na semana seguinte, todos os membros das duas famílias estão no tribunal na frente do juiz. O juiz chama o padrinho do noivo para testemunhar.
– Excelência, nesta região é costume que o padrinho dance a primeira música com a noiva. Então eu tirei a noiva para dançar… Mas como a música não parou, eu continuei dançando. E como para a terceira música também não teve intervalo, continuei dançando! Aí, de repente, o irmão da noiva correu até nós e deu um chute na xoxota dela!
O juiz faz uma careta e responde:
– Ai! Isso deve doer pacas!
O padrinho responde:
– Se dói! Ele me quebrou três dedos!

Companheirismo

Irritado com seus alunos, o professor lança um desafio.
– Aquele que se julgar burro, faca o favor de ficar em pé.
Todo mundo continua sentado, no mais completo silêncio.
Alguns minutos depois o melhor aluno da classe levantou-se.
– Quer dizer que você se acha burro? – pergunta o professor, indignado.
– Bem, pra dizer a verdade, não! Mas fiquei com pena de ver o senhor ai, em pé sozinho!