Jogando Poker

No meio da transa toca o telefone, a mulher atende. Depois de desligar o seu amante pergunta:
– Quem era?
– Era o meu marido! Ele disse que vai chegar tarde porque vai ficar jogando poker com você e outros dois.

Anúncios

Último desejo

Tá lá o velho morrendo. De repente, ele chama o filho e diz:
– Meu fio, to sentindo um cheiro de pão de queijo.
– Mas é pão de queijo mesmo pai.
– É sua mãe que tá fazendo?
– É, pai.
– Ah, meu fio, ninguém faz um pão de queijo como sua mãe. Que cheirinho bom, meu Deus. Que saudade me dá, meu Deus. Vai lá na cozinha, meu filho, vai. Vai lá e traz uns pãozim pra mim.
– Vou, meu pai.
Uns minutos depois, o velho morrendo na cama, e o rapazinho volta sem pão de queijo…
– Cadê, meu filho?, pergunta o velho.
– Mamãe não quis dar.
– Por quê?
– Ela disse que são pro velório.

O repolho

O Joãozinho pergunta ao pai como ele e sua irmã nasceram:
– Ah! Eu encontrei você dentro de um repolho e sua irmã dentro de um pé de alface!
Na mesma noite, Joãozinho passa pelo quarto dos pais e pega os dois transando.
Ele dá uma piscadinha marota para o pai e diz:
– Ai velhão! Cuidando da horta, hein!

O cavalo

O sujeito estava lendo tranquilamente o seu jornal, quando a mulher lhe dá com a frigideira na cabeça.

– Você está maluca? – reagiu ele, furioso.

– Isso é pelo bilhete que eu encontrei no bolso da sua calça, com o telefone de uma tal de Marilu.

– Mas, querida… Isso foi no dia que eu fui a corrida de cavalos. Marilu foi o cavalo que eu apostei e o numero era o valor total das apostas…

A mulher ficou toda desconcertada e desdobrou-se em desculpas.

Dias depois, ele estava novamente lendo o seu jornal e PIMBA, leva outra frigideira na cabeça.

– O que foi agora, querida? – protestou ele.

– O seu cavalo está no telefone…

Brincando de papai e mamãe

Joãozinho chega da escola e vai direto a geladeira pegar o sorvete.

Sua mãe entra na cozinha e dá uma bronca:

– Nada disso, Joãozinho. Isso não é hora de tomar sorvete. Está quase na hora do almoço. Vá lá fora brincar.

– Mas, mamãe, não tem ninguém para brincar comigo!

A mãe não entra no jogo dele e diz:

– Ok, então eu vou brincar com você. Do que é que nos vamos brincar?

– Quero brincar de Papai-e-mamãe.

Tentando não mostrar surpresa ela responde:

– Tá certo. O que é que eu devo fazer?

– Vá para seu quarto e deite-se.

Pensando que vai ser bem fácil controlar a situação, a mãe sobe as escadas. Joãozinho vai até o
quartinho e pega um velho chapéu do pai. Ele encontra um toco de cigarro num cinzeiro e o coloca no canto da boca. E sobe as escadas e vai até o quarto da mãe.

A mãe levanta a cabeça e pergunta:

– E o que eu faço agora?

Com um jeito autoritário, Joãozinho diz:

– Desça e dê sorvete ao garoto!


Conheça também meu blog Reflexões e Utopias