Com muito amor

O gaúcho foi ao proctologista, e ao chegar lá disse:
– Doutor, doutor…estou com uma dor no ânus!!!
O doutor começou a fazer o exame…
– Aonde, aqui?
– Não doutor, é mais lá dentro!
Então o doutor foi mais fundo…
– É aqui?
– Não, doutor, é maaaaaaaaiiiiiiis lá dentro!
O doutor foi mais fundo, mais fundo, mais fundo…
– Ih, tem alguma coisa aqui, vou tirar. Ué uma FLOR?!
– Para ti, com muito AMOR!

Anúncios

Versões

“Se amas alguém, deixa-o ir; se voltar é teu. Se não, nunca o foi.”

Pois bem, vejamos agora as novas versões do pensamento segundo algumas categorias de pessoas:

PESSIMISTA
“Se amas alguém, deixe-o ir; se, como era de se esperar, não voltar, nunca foi teu.”

OTIMISTA
“Se amas alguém, deixe-o ir e não te preocupes, pois, seguramente ele voltará.”

DESCONFIADO
“Se amas alguém, deixe-o ir, se acaso voltar, pergunta porque voltou.”

IMPACIENTE
“Se amas alguém, deixe-o ir, se não voltar em poucas horas, chame a polícia.”

BRINCALHÃO
“Se amas alguém, deixe-o ir, se voltar e continuar a amá-lo, deixe-o ir outra vez; e assim sucessivamente.”

ADVOGADO
“Se amas alguém, deixe-o ir e busque no Código Civil a parte que fala sobre o abandono do lar por parte do cônjuge.”

ESTATÍSTICO
“Se amas alguém, deixe-o ir, se ele te ama a probabilidade que volte é de 86.5%; se não te ama, suas relações caem no campo da improbabilidade, com uma margem de erro de 3%.”

POSSESSIVO
“Se amas alguém não o deixe ir.”

MARKETEIRO
“Se amas alguém, deixe-o ir; se voltar é uma pessoa leal à sua marca; se não voltar é hora de fazer um relançamento em um novo mercado.”

O marido do ano

O cara tinha dois ingressos para a final da Copa do Mundo, no melhor camarote do estádio. Quando ele estava sentado no seu lugar, aguardando o inicio do jogo, um torcedor nota que o lugar ao lado do homem estava vago. O torcedor pergunta então se o assento está ocupado.

– Não, não está ocupado – responde o homem.

Assombrado, o torcedor diz:

– É incrível! Quem, em seu juízo perfeito, tem um lugar como este, para a final da Copa, o evento mais importante do mundo, e não o usa?

O homem fixa o olhar nos olhos do cidadão e responde:

– Bom, na realidade, o lugar é meu. Eu comprei o ingresso faz muito tempo. Minha esposa viria comigo, mas ela faleceu. Este é o primeiro Mundial a que não assistiremos juntos, desde que nos casamos, há vinte anos.

Surpreso, o outro diz:

– Mas você não encontrou outra pessoa que pudesse vir no lugar da sua esposa? Um amigo, um vizinho, um parente ou outra pessoa chegada?

O homem nega com a cabeça e responde:

– Não, estão todos no velório…