Materialismo

Sei que o dinheiro não é tudo… tem também o carro, a casa, a televisão…
Anúncios

Precisão

Três samurais discutiam qual deles era mais hábil com a espada. Ou melhor, dois discutiam, porque o terceiro, baixinho e mirrado, não dizia nada.

Foi então que um deles, ao ver uma borboleta voando por perto, deu um salto, já de espada na mão, e com um grito e em um só golpe cortou a borboleta ao meio. Embainhou a espada e ia se sentando, todo orgulhoso, quando o segundo, antes que os outros tivessem tempo de olhar, cortou duas moscas em pleno ar.

Aí ficaram olhando para o baixinho, que não dizia nada.

Quando então apareceu um pernilongo voando. O baixinho deu um salto e zapt! com a espada. O pernilongo continuou voando. Os outros dois samurais começaram a olhar para ele. E ele nada.

Aí um deles não aguentou e disse:

– O pernilongo continua voando…

– Voando ele realmente continua, mas nunca mais terá filhos.

Cobrindo a Queimada

Um fotógrafo daquele famoso jornal precisava fazer um serviço urgente: fotografar uma gigantesca queimada em uma reserva florestal. Depois de chegar ao aeroporto, ele pede o aluguel de um pequeno avião e corre pra pista. Lá ele encontra o piloto com o motor ligado, entra no avião e grita:

– Vamos!

O piloto taxeia pela pista e decola. Em pleno vôo, o fotógrafo diz:

– Você está vendo aquela fumaça lá na frente? Quero que você chegue o mais próximo que puder!

– Mas por quê? – pergunta o piloto.

– Ué, pra tirar minhas fotos! Eu sou fotógrafo!!!

O piloto fica alguns segundos em silêncio e diz:

– Deixa de brincadeira, vai? Fala logo que você é o meu professor de pilotagem!

Estratégia

ESTRATÉGIA

Um velho vivia sozinho em Minnesota. Ele queria cavar seu jardim, mas era um trabalho muito pesado.

Seu único filho, que normalmente o ajudava, estava na prisão. O velho então escreveu a seguinte carta ao filho, reclamando de seu problema:

“Querido Filho, Estou triste porque, ao que parece, não vou poder plantar meu jardim este ano. Detesto não poder fazê-lo porque sua mãe sempre adorava a época do plantio depois do inverno. Mas eu estou velho demais para cavar a terra. Se você estivesse aqui, eu não teria esse problema, mas sei que você não pode me ajudar com o jardim, pois está na prisão. Com amor, Papai.”

Pouco depois o pai recebeu o seguinte telegrama:

“PELO AMOR DE DEUS, papai, não escave o jardim. Foi lá que eu escondi os corpos!”

Às quatro da manhã do dia seguinte, uma dúzia de agentes do FBI e policiais apareceram e cavaram o jardim inteiro, sem encontrar nenhum corpo. Confuso, o velho escreveu uma carta para o filho contando o que acontecera.

Esta foi a resposta do filho:

“Pode plantar seu jardim agora, papai. Isso é o máximo que eu posso fazer no momento!”

A dívida

Um turco pegou dinheiro emprestado de um judeu.

Acontece que o turco se gabava de nunca ter pago uma dívida sequer e por outro lado o judeu nunca havia perdido nenhum centavo em transação alguma.

Passa o tempo e o turco enrolando e se escondendo do judeu e este na captura do turco. Até que um dia eles se cruzaram no bar de um português e começaram uma discussão. O turco encurralado não encontrou outra saída, pegou um revólver encostou na sua cabeça e disse:

– Eu posso ir para o inferno, mas não pago esta dívida.

E puxou o gatilho, caindo morto no chão.

O judeu não quis deixar por menos, pegou o revólver do chão, encostou na sua cabeça e disse:

– Eu vou receber esta dívida, nem que seja no inferno.

E puxou o gatilho, caindo morto no chão. O português que observava tudo pegou o revólver do chão, encostou na sua cabeça e disse:

– Pois eu, não perco esta briga por nada…