Sonhos da idade

Os três velhinhos conversavam sentados no banco da praça:
– Eu gostaria de morrer dormindo – diz o primeiro. – Ir dormir uma noite e nunca mais acordar!
– Eu gostaria de morrer num acidente automobilístico – diz o segundo. – Adoro velocidade!
– Eu gostaria de morrer assassinado – diz o terceiro.
– Assassinado?
– Sim, por um marido ciumento!

Lembranças da infância

Todas as crianças haviam saído na fotografia e a professora estava tentando persuadí-los a comprar uma cópia da foto do grupo.
– Imaginem que bonito será quando vocês forem grandes e todos disserem: ali está Catarina, é advogada, ou também ‘Este é o Miguel. Agora é médico.
Ouviu-se uma vozinha vinda do fundo da sala (*):
– E ali está a professora. Já morreu.

(*) deve ter sido o Joãozinho

Desafio

Um irlandês vai ao médico depois de ter estado doente um tempão.

O médico, depois de um exame detalhado, olha o paciente nos  olhos e diz:

– Tenho más notícias… Você está com câncer e não tem cura. Eu  lhe dou duas a quatro semanas de vida.

O irlandês, chocado e triste, mas de gênio forte, se recupera rapidamente e sai do consultório. Na sala de espera ele encontra seu filho que o estava aguardando.

– Filho, – diz o pai – nós irlandeses, comemoramos quando as coisas estão bem, mas também quando não estão tão bem. Estou com câncer e tenho pouco tempo de vida. Vamos ao bar tomar uns
chopes.

Depois de alguns copos, eles estão mais alegres um pouco. Vêm as risadas, as gargalhadas, e mais chope. Uns amigos chegam e perguntam o motivo dessa alegria toda. O irlandês repete a história da comemoração e diz que está com Aids.

Os amigos estão consternados e acabam tomando cerveja também.  Num momento em que está perto do irlandês o filho diz ao ouvido dele:

– Pai, você me disse que estava com câncer, mas para eles você  disse que era Aids. Como é isso?

– Eu estou com câncer mesmo, filho. Eu só não quero esse pessoal trepando com sua mãe depois que eu me for…