Fé circunstancial

E lá ia o sujeito atravessando a ferrovia quando, de repente, seu pé fica preso no vão de um dos trilhos. Gemendo de dor, ele vira daqui, torce dali e nada do pé se soltar. Nisso ele ouve o apito de um trem se aproximando.

– Ai, Meu Deus! Me ajude! – diz ele, apavorado.

Puxa o pé com toda força e… nada! E ouve outra vez o apito.

– Meu Deus, por favor! – pede ele, com os olhos lacrimejantes. – Me ajude a tirar o meu pé que eu prometo que vou na missa todos os domingos. Puxa de novo e nada! E o trem apita, novamente, cada vez mais próximo.

– Por favor, Senhor! Se Você me ajudar a me livrar dessa, prometo que nunca mais vou colocar uma gota de álcool na boca!

Força mais um pouco e nada do pé sair! Agora, além do apito, ele já podia sentir o trilho tremendo. Desesperado, começou a berrar:

– Senhor! Por favor! Me ajude e eu prometo que nunca mais vou transar com ninguém!

De repente, ele puxa e o pé se solta. Segundos depois, o trem passa a toda velocidade.

– Ufa! – fez ele.

E levantando a cabeça:

– Deus, não precisa mais se preocupar, eu consegui me soltar sozinho!

Anúncios

Pergunte ao Jonas

Uma menina estava conversando com a sua professora. A professora disse que era fisicamente impossível que uma baleia engula um ser humano porque apesar de ser um mamífero muito grande, a sua garganta é muito pequena.

A menina afirmou que Jonas foi engolido por uma baleia. Irritada, a professora repetiu que uma baleia não poderia engolir nenhum ser humano; era fisicamente impossível. A menina, então disse:

– Quando eu morrer e for ao céu, vou perguntar a Jonas.

A professora lhe perguntou:

– E o que vai acontecer se Jonas tiver ido ao inferno?

A menina repondeu:

– Então é a senhora que vai lhe perguntar.