Trato é trato

Um cara estava em uma festa muito animada, quando viu uma loira maravilhosa. Ficou louco de vontade de paquerá-la, já pensando nos “finalmentes”…

Ela era um “avião”, e ele, é claro, queria tirar uma casquinha. O problema e que estava receoso, pois tinha o pinto muito pequeno.

Depois de um tempo, não se aguentava de tesão, resolveu investir. Aproximou-se e puxou conversa. Tanto fez, e como tinha uma ótima labia, conseguiu levar a loira para um lugar mais reservado. Mão pra lá, mão pra cá, o clima esquentando, e o cara disse:

– Deixa, vai?

– Não, de jeito nenhum.

– Deixa, rapidinho…

– Não – disse ela, irredutível.

– Vai, deixa! Só a pontinha, só a pontinha…

– Ta legal. Mas só a pontinha, hein?

Como ele tinha o pinto muito pequeno, não pensou duas vezes e colocou tudo. Ela adorou a sensação e gritou louca de tesão:

– Ai que delícia, coloca tudo, vai!

Ele parou e disse:

– NÃO, trato é trato!

Anúncios

Mentira

Estava uma velhinha descansando com seu gato na cadeira de balanço na sacada da casa, refletindo sobre sua longa vida, quando – de repente – uma fada surge na frente dela e a informa que ela tem direito a três desejos.

– Bom…, – diz a velhinha – creio que eu gostaria de ser muito rica.

Pufff, a cadeira de balanço dela se transforma em puro ouro.

– Uau, eu acho que eu não me importaria de ser uma jovem e bonita princesa.

Puff, ela se transforma numa jovem e bonita mulher.

– E o seu terceiro desejo? – pergunta a fada pra ex-velhinha.

– Bom, você poderia transformar meu gato num formoso príncipe?

Puff, e diante dela está um jovem varão mais formosa que qualquer um poderia imaginar.

A ex-velhinha fica embasbacada olhando pro ex-gato, agora ator da Globo.

Então, com um sorriso de afrouxar os joelhos de qualquer mulher, o rapaz se aproxima e sussurra no ouvido da ex-velhinha:

– Garanto que agora você se arrepende de ter me mandado castrar…

Simples assim

Um mecânico está desmontando o cabeçote de uma moto, quando ele vê na oficina um cirurgião cardiologista muito conhecido. Ele está olhando o mecânico trabalhar. O mecânico pára e pergunta:
– Ei, doutor, posso lhe fazer uma pergunta?
O cirurgião, um tanto surpreso, concorda e vai até a moto na qual o mecânico está trabalhando. O mecânico se levanta e começa:
– Doutor, olhe este motor. Eu abro seu coração, tiro válvulas, conserto-as, ponho-as de volta e fecho novamente, e, quando eu termino, ele volta a trabalhar como se fosse novo. Como é então que eu ganho tão pouco e o senhor tanto, quando nosso trabalho praticamente o mesmo?
O cirurgião dá um sorriso, se inclina e fala baixinho ao mecânico:
– Tente fazer isso com o motor funcionando!