Método infalível

O veterinário atende o telefone no meio da madrugada e ouve uma voz aflita do outro lado da linha:

– Doutor, é a minha cachorrinha! – começa a senhora com a respiração ofegante. – Um vira-lata entrou no meu quintal e subiu em cima dela. Como eu faço para separá-los?

– A senhora faz o seguinte – explicou o veterinário sem disfarçar o mau humor – coloque-os perto do aparelho telefônico, vai até o orelhão mais próximo e disca para a sua casa. Quando ouvirem o telefone tocar eles irão se separar!

– O senhor acha que isso realmente funciona? – perguntou a mulher incrédula.

– Bem, pelo menos comigo funcionou!

Mentira

Estava uma velhinha descansando com seu gato na cadeira de balanço na sacada da casa, refletindo sobre sua longa vida, quando – de repente – uma fada surge na frente dela e a informa que ela tem direito a três desejos.

– Bom…, – diz a velhinha – creio que eu gostaria de ser muito rica.

Pufff, a cadeira de balanço dela se transforma em puro ouro.

– Uau, eu acho que eu não me importaria de ser uma jovem e bonita princesa.

Puff, ela se transforma numa jovem e bonita mulher.

– E o seu terceiro desejo? – pergunta a fada pra ex-velhinha.

– Bom, você poderia transformar meu gato num formoso príncipe?

Puff, e diante dela está um jovem varão mais formosa que qualquer um poderia imaginar.

A ex-velhinha fica embasbacada olhando pro ex-gato, agora ator da Globo.

Então, com um sorriso de afrouxar os joelhos de qualquer mulher, o rapaz se aproxima e sussurra no ouvido da ex-velhinha:

– Garanto que agora você se arrepende de ter me mandado castrar…

Velhinha na escadaria

A velhinha toda encarquilhada ia pagando uma promessa e subindo de joelhos os 452 degraus da Igreja Nossa Senhora da Penha, quando já cumprida mais da metade da empreitada, perdeu o equilíbrio e despencou lá de cima. Quando estatelou-se no chão, estava morta!
Juntou a maior multidão pra ver o que sobrara da velhinha e foi quando uma mulher berrou para uma bichinha:
– E você que estava perto dela, sua bicha sem-vergonha, por que não segurou a pobre da velhinha?
– Eu não! Sei lá se ela tava pagando promessa!

Velhinha trepadeira

Essa é do tempo em que, para ser prostituta, era necessário pedir autorização ao delegado (se é que esse tempo existiu algum dia).
Nem bem o dia amanheceu a velhinha acordou para ir à feira.
Quando passava diante da delegacia viu uma fila de jovens garotas com as pernas de fora. Curiosa, abordou a última da fila:
– Explique-me uma coisa, menina… Para quê essa fila?
A garota, com dezoito anos recém-completados, envergonhada, resolveu mentir:
– É pra pegar autorização para colher laranjas no sítio da prefeitura!
– Oba! Eu adoro laranjas! – e postou-se logo atrás da ruivinha.
Quando chegou a vez da velhota, o delegado indignou-se:
– Mas vovó, a senhora nessa idade ainda trepa?
– Trepar eu não trepo, mas chupar eu chupo!

Mal entendido

Essa é do tempo em que, para ser prostituta, tinha de pedir autorização ao delegado (se é que esse tempo existiu algum dia!?).
Nem bem o dia amanheceu a velhinha acordou para ir à feira. Quando passava diante da delegacia viu uma fila de jovens garotas com as pernas de fora. Curiosa, abordou a última da fila:
– Me explica uma coisa, menina! Pra que essa fila?
A garota, com dezoito anos recém completados, envergonhada, resolveu mentir:
– É pra pegar autorização para colher laranjas no sítio da prefeitura!
– Oba! Eu adoro laranjas! – e postou-se logo atrás da ruivinha.
Quando chegou a vez da velhota, o delegado indignou-se:
– Mas vovó, a senhora nessa idade ainda trepa?
– Trepar eu não trepo, mas chupar eu chupo!

Suicídio

Aquela velhinha vivia sozinha, coitadinha, sem saúde, sem dinheiro, sem amigos… um dia resolveu acabar com a própria vida e ligou para o seu médico para saber qual era a posição exata do coração.
– Dois dedos abaixo do seio esquerdo.
No dia seguinte ela se tornou manchete de jornal:
“Mulher idosa tenta o suicídio com um tiro no joelho.”

A velhinha

A VELHINHA

Um jovem bonito, com um corpo escultural, estava desempregado pois acabava de concluir seus estudos.
Como não tinha dinheiro, e precisava pagar o aluguel, a água, a luz, a comida, etc. decidiu se prostituir e coloca na porta do seu apartamento um cartaz com letras bem grades:

NA CAMA: $100.00
NO SOFÁ: $50.00
NO CHÃO: $25.00
Nisso passa uma velhinha e fica olhando com atenção o cartaz, corre para sua casa, quebra o cofrinho, conta o dinheiro e vai ver o jovem prostituto.
Ao ver o jovem, mostra as moedas que leva na mão. O rapaz se detêm, a observa, e conta o dinheiro.
São $100.00. O jovem olha a velhinha e fala:
– Velhinha danada.. quer na caminha, é!!?
Sorrindo, a velhinha responde:
– Não seja ingênuo, meu filho… EU quero QUATRO vezes no chão!