Marido no restaurante

Aquele casal estava jantando num restaurante finíssimo, quando de repente o homem desaparece para debaixo da mesa. Surpreso, o garçom se aproximou e perguntou com ar de preocupação:
– Perdão, senhora, mas o seu marido está passando mal?
– Não, não! Ele está ótimo! Acabou de entrar no restaurante!

Anúncios

Vingança

Um sujeito está sentado no bar, num restaurante, esperando liberar uma mesa. De repente ele vê uma morena linda, também no bar, sozinha, tomando um aperitivo. O sujeito chega perto dela e diz:

– O restaurante está cheio, e vai ser difícil conseguirmos mesa. Você se importaria em jantar comigo?

A mulher levanta de repente e grita:

– Ir para sua casa, assim sem mais nem menos? Quem você acha que eu sou, seu pervertido?

O sujeito volta para seu canto, envergonhado, pensando que a mulher é louca. Cinco minutos depois a mulher levanta e vai até o sujeito e diz:

– Desculpe-me pela cena de agora há pouco. Estou preparando uma tese de Psicologia e estou estudando as reações das pessoas em situações embaraçosas. Mas eu vim para lhe dizer que sim, aceito jantar em sua companhia.

O sujeito se levanta de seu assento e berra:

– O que? Duzentos paus? Você é louca!

O Ministro no restaurante

– Traga-me o couvert, um filet au poivre, e um vinho tinto.
– Sobremesa?
– Depois eu vejo.
– Estava bom o prato ministro?
– Estava ótimo. Pode trazer a sobremesa e o cafezinho.
– Não vai dar ministro.
– Por quê? Está em falta?
– Não excelência. Não temos sobremesa no cardápio.
– Como assim? Ficou louco? Eu estou vendo aqui no cardápio.
– É verdade senhor ministro. Ela está no cardápio de fato, temos sobremesa na casa, está uma delícia verdadeira, real.
– Bem então traga.
– Não vai dar ministro. O chef da casa não permite.
– Mas por quê?
– Com a devida vênia, excelência, é que o senhor não incluiu a sobremesa no pedido inicial. E o chef diz que se não está no pedido, é como se não estivesse mais no cardápio, mesmo estando, mesmo o senhor vendo ela ali, oh, mas se não tá no pedido inicial eu não posso me servir dela para lhe atender.
– Mas isso é um absurdo. É uma injustiça.
– Verdade ministro. Quem sou eu para discordar…

Maionese

O gaguinho esta numa churrascaria rodízio e de repente o garçom aproxima-se com uma travessa de maionese e coloca uma colherada em seu prato.

– Ma-mais…

O garçom coloca mais uma colherada.

– Ma-mais…

Outra colherada.

– Ma-mais…

O garçom já meio irritado, despeja metade da travessa no prato do gaguinho.

– Ma-mais…

Ai o garçom não aguentou:

– O senhor come esse dai, que depois eu ponho mais!

– Ma-mais… eu nã-não go-gosto de ma-maionese!