O presente

O menino após ter ganhado um presente disse para o pai:

– Papai! Olha, sem as mãos!

– Papai! Olha, sem os pés!

– Papai! Olha, sem as pernas!

E o pai, irritado:

– Para com isso menino! Devolva-me aqui essa serra elétrica!

Papai Noel estressado

Querido Papai Noel
Por favor! Por favor! Por favor! Por favor! Dá um cachorrinho pra mim!
Por favor! Por favor! Por favor! Por favor!
Com imploração,
Juninho

 

Resposta do bom velhinho:

Querido Juninho!
Esse tipo de imploração funciona melhor com os seus pais, já que você é adotado (ops falei! agora já era) e eles te toleram demais… Já comigo não funciona… Comigo o buraco é mais embaixo…  Pare de ser mala!

Vou te dar mais outro pijama!

Papai Noel (Hehehe)

Os Tanques de combustível do ônibus espacial Space Shuttle

Aqui está o mais puro exemplo de como temos, muitas vezes, de nos adaptar a atitudes tomadas no passado:

A bitola das ferrovias (distância entre os dois trilhos) nos Estados Unidos é de quatro pés e 8,5 polegadas.

Por que esse número foi utilizado?
Porque era esta a bitola das ferrovias inglesas e como as americanas foram construídas pelos ingleses, esta foi a medida utilizada.

Por que os ingleses usavam esta medida?
Porque as empresas inglesas que construíam os vagões eram as mesmas que construíam as carroças, antes das ferrovias e se utilizavam dos mesmos ferramentais das carroças.

Por que das medidas (quatro pés e 8,5 polegadas) para as carroças?
Porque a distância entre as rodas das carroças deveria servir para as estradas antigas da Europa, que tinham esta medida.

E por que tinham esta medida?
Porque essas estradas foram abertas pelo antigo império romano, quando de suas conquistas, e tinham as medidas baseadas nas antigas bigas romanas.

E por que as medidas das bigas foram definidas assim?
Porque foram feitas para acomodar dois traseiros de cavalos!

Finalmente…

O ônibus espacial americano, o Space Shuttle, utiliza dois tanques de combustível sólido (SRB – Solid Rocket Booster) que são fabricados pela Thiokol, em Utah. Os engenheiros que os projetaram queriam fazê-lo mais largo, porém tinham a limitação dos túneis das ferrovias por onde eles seriam transportados, os quais tinham suas medidas baseadas na bitola da linha.

Conclusão: O exemplo mais avançado da engenharia mundial em design e tecnologia acaba sendo afetado pelo tamanho da bunda do cavalo da Roma antiga.

PS.: Existem várias empresas de liderança tecnológica que também tem um monte de coisas definidas por bundões…

Presente

O namorado está em Nova Iorque e resolve mandar uma lembrança para a namorada. Entra em uma loja e escolhe um finíssimo par de luvas. Pede para a balconista embrulhar enquanto vai ao caixa.

Descuidadamente, a balconista entrega-lhe outro embrulho, com uma calcinha de nylon.

Sem saber do engano, o namorado envia o presente com um bilhete:

– Querida: para mostrar que, mesmo estando longe, não me esqueço de você, envio-lhe esta surpresa; mesmo sabendo que você não usa, pois sempre que saímos juntos, nunca vi. Gostaria de estar aí para ajudá-la a vestir. Fiquei em dúvida quanto a cor, mas a balconista disse que esta não descora nem mancha. Ela experimentou para eu ver e ficou muito bem, apenas um pouco larga na frente, mas ela disse que é para os dedos mexerem mais a vontade e a mão entrar mais facilmente. Depois de usá-la, vire pelo avesso e ponha talco para evitar o mau cheiro. Espero que fique satisfeita tanto quanto eu, pois ela vai cobrir aquilo que em breve lhe pedirei.

Presente

O advogado recebe no escritório um cliente preocupado com seu processo:

– Doutor, se eu perder este caso, estou arruinado…

– Tudo so depende do juiz…”, diz o advogado.

– Se eu der um presentinho ao juiz, isto ajudaria?

– Não! Este juiz e muito ético e consciente. Se você o der um presente, isto ira prejudica-lo! Nem pense nisto!

Passado algum tempo, sai a sentença: a favor do advogado.

O cliente procura o advogado e diz:

– Obrigado pela dica sobre o presentinho, funcionou!

– Mas como? Se você tivesse enviado o presente, teríamos perdido a causa!

– Mas eu mandei o presente… Foi por isso que ganhamos a causa

– Você está louco? Como?

– Bem, eu mandei o presente. E dentro da caixa coloquei um cartão de visitas do nosso adversário.