Causo mineiro

Mineirim, miudinho, todo tímido embarca no ônibus de Divinopólis para BH. Seu colega de poltrona, um negão de 1,80 m de altura, com cara de poucos amigos. Negão no maior ronco e mineirim todo enjoado com as curvas da estrada. A certa altura Mineirim não aguenta e vomita todo o jantar no peito do Negão.

Mineirim no maior desespero e Negão ainda roncando. Chegando em Betim, Negão acorda e passa a mão no peito todo melecado e gosmento. Olha indignado e confuso pro mineirim, que imediatamente bate a mão no seu ombro e pergunta:

– Cê miorô?

:o)

 

Umistorinha minêr proceisvê

Sapassado, era feriado de ssetembro, taveu na cuzinha tomano uma pincumel e cuzinhano um kidicarne com mastumate pa fazê uma macarronada com galinha assada.

Qüascaí de susto, quando ouvi um barúi vino de dendoforno, pareceno um tirdiguerra. A receita mandopô midipipoca denda galinha prassá. O forno isquentô, o mi istorô e a galinha ispludiu! Nossinhor, sô!… Fiquei branco quinéin um lidileite. Foi um trem doidimais! Qüascaí dendapia! Fiquei sem sabê doncovim, proncovô, oncotô. Ói, procevê quilocura! Foi um trem doidimais, viu!…

Grazadeus ninguém simachucô!

Pequeno Dicionarim do Minerin

PEQUENO DICIONARIM DO MINERIN

ARREDA v.i. 1. Verbo na forma imperativa, semelhante a sair, deslocar-se: Arreda pra lá, sô!
BELZONT s.p. 1. Capital de Minas Gerais.
BERABA e BERLANDIA s.p. 1. Cidades famosas do Triângulo Mineiro.
COFÓFÔ EU VÔ p.q.p. 1. Conforme for, eu vou.
DEUSDE prep. 1. Desde: Eu sou magrilim deusde que eu era muleque!
ÉMEZZZ? adj. 1. Minerin querendo confirmação.
ESPIA s.p. 1. Nome da popular revista VEJA quando chega na distante e pequena cidade do minerin.
ESTAÇÃ s.m. 1. Onde desembarcam os minerin com suas malas cheias de queijo.
I conj. 1. E: Minino, ispecial, eu i ela, vistido.
IMMM v.t.i. 1. Forma diminutiva: Piquininimm, lugarzimm, bolimm, vistidimm, sapatimm etc….
INTORNÁ g.g. 1. Quando não cabe na vasilha. 2. Derramar.
JIGIFORA p.d.s. 1. Cidade mineira próxima ao Estado do Rio de Janeiro, o que confunde a cabeça do minerin que não sabe se é minerin ou carioca.
KINEM k.b.lo 1. Advérbio de comparação – igual: Ela saiu bunita kinem a mãe.
MA QUI BELEEEZZZ p.d.t. 1. Expressão que exprime aprovação; quando gostou de alguma coisa.
MAGRILIM p.d.v. 1. Indivíduo muito magro.
MINERIN p.lé 1. Típico habitante das Minas Gerais.
NIGUCIM p.ludo 1. Qualquer coisa que o minerin acha pequeno.
NNN p.o.p. 1. Gerúndio do minerês: Brincannno, corrennno, innno, vinnno.
NUÉMERMO? z.bra. 1. Minerim procurando concordância com suas idéias.
NUM… NÃO ã.h. 1. Advérbios de negação usados na mesma frase: Num vô não. Num quero não. Num gosto não.
OIÓ TÓ x.x. 1. Olha aí, ó, toma…
ÓIQUI a.b.c. 1. Minerin tentando chamar a atenção para alguma coisa.
PÃO DJI QUEJ k.h. 1. Alimento fundamental na mesa mineira, disputa com o TUTU a preferência dos minerin.
PÓPÔPÓ? h.xá 1. A mineira perguntando ao marido se pode por o pó (ao fazer café).
PÓPÔPOQUIN o.d.d. 1. Resposta afirmativa do marido.
TREM s.b.p. 1. Palavra que nada tem a ver com transporte e que quer dizer qualquer coisa que o minerin quiser: Já lavô us trem? Eu comi uns trem. Vamo lá tomar uns trem?
TRIANGO MINER-RO m.p.b. 1. Triângulo Mineiro.
TUTU t.u.m. 1. Mistura de farinha de mandioca com feijão triturado e uns temperim lá da horta.
TXII v.i.g.i. 1. O irmão do pai ou da mãe: Mulher do txii é a txxiiiiaa.
UAI u.a.i. 1. O correspondente ao UÉ dos paulista: Uai é uai, uai!
VARGE e.l.a. 1. Aquele legume verde rico em fibras.