O japonês no ônibus

Um japonês entra num ônibus na rodoviária do Tietê em São Paulo e diz para o motorista:

– Olha, eu preciso descer em Taubaté. Só que faz 2 dias que não durmo, então gostaria que você me acordasse.

– Não tem problema, eu o chamo.

– Só tem um detalhe: quando eu acordo fico muito, mas muito mal humorado. Se por acaso eu começar a xingar, brigar, recusar-me a descer, não tem importância. Se for necessário pode me jogar pra fora do ônibus. Desde já eu agradeço e peço desculpas caso venha a lhe ofender.

– Deixa comigo – diz o motorista.

Quando o japonês acorda para sua surpresa se depara com o Cristo Redentor e o Bondinho da Urca. Enfurecido, começa a esbravejar com o motorista.

Um passageiro, vendo a cena, comenta com o colega ao lado:

– Pux!, que japonês nervoso.

– Isso não é nada. Você tinha que ver o outro japonês que o motorista pôs para fora em Taubaté.

Anúncios

“Dorado”

O sujeito vê um japonês pescando na beira do rio e pergunta.
– Já pescou muito?
– Zaponês já pegou dois dorado, né?
– Dourados? Que maravilha!
E o sujeito senta-se ao lado do japonês e passa o dia todo pescando. Mas só consegue pegar meia dúzia de lambaris…
– Escuta aqui, o japa! Você não me disse que tinha pegado dois dourados?
– Non! Senhoro entendeu mal, né? Zaponês pegou um dorado de cá e outro dorado de lá!

Joãozinho japonês

No primeiro dia de aula, numa escola secundária dos EUA, a professora apresentou aos alunos um novo colega, Sakiro Suzuki, vindo do Japão.

A aula começa e a professora:

– Vamos ver quem conhece a história americana. Quem disse: “Dê-me a liberdade ou a morte?”

Silêncio total na sala. Apenas Suzuki levanta a mão:

– Patrick Henry em 1775 na Filadélfia.

– Muito bem, Suzuki. E quem disse: “O estado é o povo, e o povo não pode afundar-se?”

Suzuki:

– Abraham Lincoln, em 1863, em Washington.

A professora olha os alunos e diz:

– Não têm vergonha? Suzuki é japonês e sabe mais sobre a história americana que vocês!

Então, ouve-se uma voz baixinha, lá ao fundo: “japonês filho da puta!”

– Quem foi? – grita a professora.

Suzuki levanta a mão e, sem esperar, responde:

– General McArthur, em 1941, em Pearl Halbour.

A turma fica super silenciosa… apenas ouve-se do fundo da sala: “Acho que vou vomitar.”

A professora grita:

– Quem foi?

E Suzuki:

– George Bush Sênior, ao Primeiro-Ministro Tanaka, durante um almoço, em Tókio, em 1991.

Um dos alunos fala: “Chupa o meu pau!”

E a professora, irritada:

– Acabou-se! Quem foi agora?

E Suzuki, sem hesitações:

– Bill Clinton à Mônica Lewinsky, na Sala Oval da Casa Branca, em Washington,em 1997.

E outro aluno fala ao fundo: “Suzuki de merda!”

E Suzuki responde:

– Valentino Rossi, no Grande Prêmio de Moto velocidade, no Rio de Janeiro,em 2002.

A turma fica histérica, a professora desmaia, a porta se abre e entra o diretor, que diz: “Que merda é essa? Nunca vi uma confusão deste tamanho!”

E Suzuki, bem alto:

– Lula, para o José Dirceu, quando estourou o escândalo dos Correios.

Tatuagem

O Japonês estava no banheiro fazendo xixi, quando chega um negão e se posiciona ao seu lado, arrancando uma mangueira enorme.
Com o rabo dos olhos ele dá uma espiada e consegue ler a seguinte inscrição tatuada na piroca do negão:
“Mesbla! O maior e mais completo Magazine da América do Sul”.
Ele gostou tanto da ideia que, na primeira oportunidade procurou um tatuador. Gravou: “C&A”.


Conheça também meu blog Reflexões e Utopias


Japonês

1. Como se chama um japonês de pau grande?
Kazo Haru.

2. Por que japonês não pega AIDS?
Porque o pinto dele não alcança o vírus.

3. Por que quando japonês compra camisinha não pode usar imediatamente?
Porque tem que mandar fazer a barra primeiro.

4. O que um japonês que tem o pênis cortado pela esposa ciumenta deve fazer?
Recorrer ao Tribunal de Pequenas Causas

5. Qual é a semelhança entre 99 reais e um japonês?
Os dois são quase cem pau.

6. Por que japonês não pode ser eletricista?
Porque tem um curto entre as pernas.

7. O que japonês faz quanto tem ereção.
Vota.

8. O que resulta do cruzamento de um japonês com um pavão?
Um espanador de cabo curto.

9. Por que a japonesa era a melhor nadadora do mundo?
Porque nada de peito, nada de costas, nada de bunda.

Pensamento: “Peru de japonês é como rifle: para ter precisão, só com
mira telescópica.”