Duas notícias…

O sujeito fica incumbido de dizer ao amigo que o filho deste tinha mudado de sexo.
– João, eu tenho duas notícias sobre o seu filho, uma boa e outra má… Muito má!
– Comece com a má, por favor!
– O seu filho é um travesti!
– Meu Deus, que desgraça! E a notícia boa?
– Ontem ele ganhou o concurso Rainha da Primavera!

Velhinha na escadaria

A velhinha toda encarquilhada ia pagando uma promessa e subindo de joelhos os 452 degraus da Igreja Nossa Senhora da Penha, quando já cumprida mais da metade da empreitada, perdeu o equilíbrio e despencou lá de cima. Quando estatelou-se no chão, estava morta!
Juntou a maior multidão pra ver o que sobrara da velhinha e foi quando uma mulher berrou para uma bichinha:
– E você que estava perto dela, sua bicha sem-vergonha, por que não segurou a pobre da velhinha?
– Eu não! Sei lá se ela tava pagando promessa!

Diagnóstico

Desconfiado das atitudes do filho, o pai leva o garoto ao psicólogo para descobrir se seu filho é homossexual.
O Dr. pergunta ao garoto:
– Qual o vegetal que você mais gosta?
“Meu Deus, ele vai dizer cenoura ou pepino” – pensa o pai
– Chuchu – responde o garoto.
“Ufa!” – pensa o pai.
– Qual seu número preferido? – pergunta o Dr.
“24!” – pensa o pai.
– 11 – responde o filho.
“Ufa!” – pensa o pai.
– Qual o animalzinho que você gostaria de criar?
“Cordeirinho, carneirinho, viadinho, ai meu Deus, o que esse moleque vai responder?!” – pensa o pai.
– Jacaré! – diz o filho.
“Ufa!”, aliviado fica o pai.
– O que você quer ser quando crescer? – pergunta o Dr.
“Cabeleireiro, alfaiate, estilista” – pensa o pai.
– Juiz – responde o filho.
– Que fruta você mais gosta? pergunta o médico.
“Até aqui tudo bem”, pensa o pai.
– Jabuticaba, afirma o menino
O moleque deixa a sala e o pai, aliviado, diz para o médico:
– Meu filho não é gay, não é Dr.?
E o Dr. responde:
– Seu filho é gay assumido, viadão mesmo: chuchu, dá o ano inteiro; 11 é um atrás do outro; jacaré se defende dando o rabo; juiz vive de vara em vara e jabuticaba é a única fruta que nasce e morre grudada no pau!

Bichinha no médico

A bichinha vai ao médico, este encosta o estetoscópio em suas costas e diz:
– Por favor, diga 33!
– Trinta e três – responde a bichinha, com voz afetada!
– Muito bem, – ele muda a posição do estetoscópio. – Novamente.
– Trinta e três!
O médico coloca o estetoscópio no peito do seu cliente:
– Diga 33!
– Trinta e três!
– Ótimo! Mais uma vez!
– Trinta e três!
– Perfeito, agora vamos examinar a próstata!
A bichinha se põe de quatro, abaixa as calcas e o médico mete o dedo no rabo dela.
– Diga 33 – diz ele, descuidado.
– Um… Dois… Três… Quatro…

Homem gosta é de homem!

HOMEM GOSTA É DE HOMEM!
(Mário Prata)

Homem gosta de homem! Disse, corajosamente, o cartunista Miguel Paiva (Radical Chic) na semana passada no gostoso (e gostosa) Marília Gabi Gabriela. É preciso ter peito para fazer-se uma declaração dessa em público. E, quem tem peito, geralmente, são as mulheres.E a Marília retrucou:

– Mulher também.

Escrevi e montei uma peça há uns anos atrás, chamada Bésame Mucho (que depois virou filme do Ramalho). Esta peça tratava justamente deste assunto.

A relação de ternura entre dois homens. Da infância até a maturidade. Antes que alguém viesse dizer que era coisa de viado, tive que inventar uma palavra para explicar a relação entre os dois personagens masculinos. A palavra era “homoternurismo” e, para minha infelicidade, até hoje não se incorporou ao Aurélio. Mulher é bom, é ótimo, nem se discute. Mas que os homens preferem os homens, também não se discute. Desde a infância, menino gosta de brincar com menino. Clube do Bolinha. Menina não entra! Na adolescência, é a mesma coisa.

Temos olhos para os seios e os bumbuns da meninas, mas no meu time de futebol elas não entravam. Era rapaz de um lado e as meninas do outro. A gente casa, ama a esposa da gente, tem filhos, mas não vê a hora de ir para o botequim tomar umas e outras com os amigos. Os amigos do peito.

Já notaram que os homens não têm amigas do peito? Têm amigas com peito. Na hora da confidência mais confidencial, na hora do aperto, do ombro amigo, é o amigo do peito (para se chorar) que está ali. Favor não confundirem, jamais, homoternurismo com homossexualismo. E a gente vai crescendo e vai formando o nosso time de amigos eternos, confiáveis, pau (ops!) pra toda obra.

O domingo, por exemplo, foi feito para se passar com os amigos. O jogo de futebol, os gols na televisão, a cervejinha gelada. Mas qual é a mulher que não quer ir a “um cineminha” no domingo? Devia ser proibido mulheres aos domingos, dizia um meu amigo do peito, casado.

Tudo isso que eu escrevi aí em cima, se for mesmo válido, só é válido até uma certa idade. A idade que eu estou agora. Quase cinquenta anos, cheio de amigos e sem nenhuma mulher. Talvez por pensar assim.

“Um misógino!”, diriam elas. Mas o mesmo Aurélio, que não consolidou o homoternurismo, diz que misoginia é uma “repulsa mórbida do homem ao contato sexual com as mulheres”. Não é o caso.

E, outro dia, discutia isso com um velho amigo velho de 84 anos. Ele concordou, em termos, do alto de sua sabedoria de ancião. Mas fez uma ressalva. Jogou na minha cara:

– Daqui para a frente, é melhor começar a convidar mulheres para ir ao jogo de futebol. É melhor ir aprendendo a tomar caipirinha com mulheres no sábado antes da feijoada. Já está na hora de parar de reparar apenas nos seios e nas bundinhas da mulheres. As mulheres têm mais alma que os homens!

– E daí?, respondeu o machão aqui.

– E dai, meu filho, que você na velhice vai ficar chato, intransigente, metódico, sistemático. Aliás, já está ficando. E não tem nenhum amigo do peito nessa hora para te socorrer. Se você chegar sozinho na velhice, não conte comigo, que eu já fui embora. Quem sempre cuidou de você foram as mulheres. A começar pela sua mãe.

– Você está querendo que eu arrume uma outra mãe?

– Não, meu filho. Uma mulher. Vai por mim, mulher é muito melhor que homem. E quanto mais velhas ficam, melhor nos entendem. Ao contrário dos homens. E pediu mais uma caipirinha, enquanto olhava o traseiro da jovem, muito jovem, garçonete. Encerrou, com o olhar distante:

– Mulher é o que há, menino! Trate logo de arrumar uma, enquanto você está vivo… E quer saber de mais uma coisa? Esse papo de homoternurismo, pra mim, é coisa de viado!