O aleijadinho

Numa cidadezinha do interior tinha um aleijadinho, o chodó da cidade. Certo dia um circo chegou na cidade, e resolveram levar o aleijadinho. Quando parecia tudo bem, um leão escapou de uma jaula e todos começaram a correr, e gritar:

– O aleijadinho ! Pega o aleijadinho!

Quando o aleijadinho gritou:

– Deixa o leão escolher, caramba!

Pequeno detalhe

O circo está sem domador de leões. O último que passou por lá perdeu o braço porque o leão é muito feroz. O dono coloca um anúncio no jornal e aparecem dois candidatos: uma loira de fechar o comércio e um sujeito de uns 20 anos mas que não tem nenhuma cara de um domador.

O dono explica:

– Vou direto ao assunto: vocês vão ser colocados na jaula do leão, e quem tiver a melhor performance vai ser contratado. Seu único equipamento é um chicote e uma cadeira. Quem quer começar?

A loira se apresenta. Ela deixa a cadeira e o chicote fora da jaula e entra. O leão está prestes a pular sobre a loira, quando ela abre seu vestido e revela seu corpo nu, um corpo esplêndido. O leão para imediatamente, rasteja até a loira e começa a lamber suas pernas, subindo cada vez mais. Em seguida, deita dócil aos pés da domadora.

O dono do circo está entusiasmado:

– Nunca na minha vida vi um espetáculo como esse! Vamos ganhar uma fábula com esse número.

Mas aí olha para o rapaz com dó, e pergunta:

– Você acha que pode fazer melhor?

O rapaz responde:

– Tire o leão da jaula que o senhor vai ver!

O elefante do circo

Em uma cidade, o dono do circo resolveu criar um desafio. No meio do espetáculo ele anuncia para a platéia:
– Pagaremos R$ 30 Milhões para quem executar as três tarefas impossíveis:
1) Fazer nosso elefante saltitar
2) Fazer nosso elefante sentar
3) Fazer nosso elefante falar
De repente levanta um homem:
– Eu faço, mas tem que apagar a luz.
Meio ressabiado, o dono do circo chama o homem para o palco, manda trazerem o elefante e diz para apagarem a luz.
Quando a luz apagou o cara da o maior chute nos ovos do elefante e pede para acender a luz, o elefante está saltitando de dor.
– Agora a 2a. tarefa, pede o dono.
– Apaga a luz, disse o cara.
Dá uma paulada com um taco golfe de nos ovos do elefante que agora sentou de tanta dor.
Aplausos do público
– Agora a 3ª tarefa, diz o dono.
– Apaga a luz, pediu o homem.
– APAGA PORCARIA NENHUMA, diz o elefante.

Promoção no Circo

As finanças iam mal no Circo quando o dono teve uma idéia:
– Vou fazer uma promoção para a cidade! Quem estiver presente no espetáculo de sábado, poderá ter a chance de levar R$ 50.000,00 para casa, se após o término do mesmo, conseguir fazer, em apenas 5 minutos, que o Elefante Elfo sente.
E assim foi anunciado através de cartazes e folhetos durante toda a semana e sábado o circo estava lotado e ao término do espetáculo, todos esperavam pela chance de ganhar os R$ 50.000,00.
Foi quando o dono do Circo se pronunciou:
– E agora o tão esperado momento! Quem quer tentar fazer o Elefante Elfo sentar em cinco minutos e concorrer a R$ 50.000,00 !?
– Eu quero! Disse um homem muito forte.
– Pois não, fique a vontade. – Retrucou o dono do circo.
E o homem puxou o rabo do elefante, tentou levantar a perna do animal, subiu no lombo do bicho, tentou, tentou, tentou e nada. Passaram-se os 5 minutos e já estava o dono novamente ao microfone:
– Não conseguiu! Quem é o próximo a querer tentar fazer o Elefante Elfo sentar e concorrer a R$ 50.000,00!?
– Nós, disseram outros três homens.
– Pois não, fiquem a vontade. – Retrucou o dono do circo.
E estes também não conseguiram e assim se sucedeu com inúmeros outros candidatos.
Quando as pessoas já estavam quase desistindo, e o dono do circo muito orgulhoso da sua grande idéia, um homem pequeno e franzino surge ao fundo e diz:
– Poderia tentar Senhor?
O dono do circo vê o pobre homem, e com um ar sarcástico diz em alto e bom tom:
– Lógico meu amigo… fique a vontade, o Elefante Elfo é todo seu. Você tem 5 minutos.
O pequeno e franzino homem se aproxima do Elefante. Imóvel, ele se posiciona e fica parado bem na frente do bicho. O elefante desconfiado olha bem para ele. Ninguém entende nada sobre o que está acontecendo! O silêncio impera e o dono do circo se mantém com aquele sorriso sarcástico no rosto, afinal, o que um homem tão pequeno e franzino poderia fazer contra um imenso elefante daqueles?
Quatro minutos se passaram e o pequeno homem permanece ali, completamente parado, olhando fixamente os olhos do grande animal, bem na frente do elefante.
Quatro minutos e 30 segundos e o pequeno homem franzino se movimenta para a parte de trás do elefante. Este, desconfiado, o acompanha apenas com os olhos. Bem posicionado, o pequeno homem dá um grande chute no saco do animal!
PUFFF! E o elefante imediatamente senta de dor!
A platéia rompe em aplausos e assobios e o dono do circo quase desmaia de tanto desgosto.
O homem franzino leva os R$ 50.000,00 para casa.
– Recolham tudo! – Grita enfurecido o dono do circo. – Vamos embora daqui esta noite mesmo. – E assim se dá.
Meses depois, em outra cidade, as coisas continuam não indo bem e o dono do circo está novamente às voltas com o que deve fazer para trazer o público ao seu circo e a mesma idéia lhe ronda a cabeça, quando acredita ter achado a solução:
– Já sei, ao invés de apenas pedir para faze-lo sentar, o elefante Elfo terá que mexer a cabeça para cima e para baixo, para a direita e para a esquerda e ainda por cima sentar, e tudo isto em apenas 30 segundos! Ninguém será capaz de fazer isto!
Novamente assim como a vez anterior, inúmeros cartazes e folhetos são distribuídos e, sábado, tal qual como na outra cidade, tudo se repete.
Mais uma vez inúmeras pessoas tentam de tudo para fazer o necessário para ganhar o prêmio, e nada conseguem.
Quando tudo parecia ganho e o plano do dono do circo desta vez parecia ter dado certo, novamente o pequeno homem franzino aparece no fundo da platéia e diz:
– Por favor, eu gostaria de poder tentar também!
O dono do circo ao ver o mesmo homem, o reconhece e é acometido por um frio na barriga!
Bem, a coisa não está mais tão simples como na primeira vez, pensa ele, e não posso não permitir que ele tente…
– OK, meu caro amigo o elefante é todo seu! – Diz o dono do circo.
Como agora o homem tem pouco tempo, este chega rapidamente bem pertinho do elefante, o que o reconhece de imediato, e diz ao animal:
– Lembra de mim?
O elefante balança a cabeça para cima e para baixo.
– Quer levar outro chute no saco? – continua o homem
O elefante balança a cabeça para a direita e para a esquerda.
– Então senta logo ai.
Puff! O Elefante o obedece imediatamente.

A loira, o leão e o velho

A loira, o leão e o velho

O dono de um circo colocou um anúncio no Estadão, procurando um domador de leão.

Apareceram duas pessoas: um senhor de boa aparência, aposentado, beirando 80 anos e uma loira espetacular de 25 anos.

O dono do circo fala com os dois candidatos:

– Eu vou direto ao ponto. Meu leão é extremamente feroz, e matou os meus dois últimos domadores. Ou vocês são realmente bons, ou vão durar 1 minuto! Aqui está o equipamento – cadeira, chicote, pistola! Quem quer entrar primeiro?

A loira fala:

– Eu vou!

Ela ignora cadeira, chicote e pistola e entra rapidamente na gaiola.

O leão ruge e começa a correr na direção da loira. Quando falta um metro para ela ser alcançada, a loira abre o seu vestido e fica pelada, mostrando todo o esplendor do seu corpo.

O leão para como se tivesse sido fulminado por um raio! Ele se deita na frente da loira e começa a lamber os seus pés! Pouco a pouco, ele vai subindo e lambe o corpo inteiro da loira durante longos minutos!

Finalmente ele se deita de novo com a cabeça nos pés da loira.

O dono do circo, com o queixo caído até o chão diz:

– Eu nunca vi algo assim na minha vida!

Ele se vira para o velhinho e pergunta:

– Você consegue fazer a mesma coisa?

E o velho responde:

– Claro! É só tirar o leão…