Caça de Gorila

Um sujeito vai para a África para caçar gorilas. Ele contrata um guia que explica como é que a técnica.

O guia chega com uma espingarda, um cachorro e uma rede. Ele explica:

– A gente vai até o lugar onde estão os gorilas, que ficam geralmente em árvores. Depois de encontrar uma árvore com um gorila eu sacudo a árvore até o gorila cair. O cachorro, especialmente treinado, morde o saco do gorila, que fica paralisado. E aí você só precisa jogar a rede sobre o gorila.

O caçador estranha:

– Mas então para que a espingarda?

– Se eu cair, você mata o cachorro!

O ceguinho e o cachorro

O ceguinho está parado na esquina, aguardando para atravessar a rua, quando um cachorro chega e faz xixi em cima da perna dele.

Ao sentir o liquido escorrendo-lhe pela perna, ele imediatamente enfia a mão no bolso, tira um doce e oferece ao cachorro.

Ao ver aquela cena uma senhora, observa:

– Quanta bondade! O cachorro mijou em sua perna e ainda o senhor lhe oferece comida!

E o ceguinho:

– Eu so quero saber onde é a cabeça dele para eu dar uma paulada!

Carta de um dentista revoltado

Larguei a maldita odontologia após assistir a reportagem da Vigilância Sanitária no Gugu, eis a explicação:

Um cara vendendo cachorro-quente com a salsicha estragada, maionese fora da geladeira e no sol no banco da frente do carro, com purê de batata marrom-esverdeado fatura LÍQUIDO (ISSO MESMO, LÍQUIDO) R$ 200,00 por dia! Isso dá R$ 6.000,00 (seis mil) por mês!

Sendo assim estou montado uma barraquinha de cachorro-quente. Isso porque:

1) Pra que tanta responsabilidade se coisas muito mais simples dão muito mais dinheiro e muito menos problema?

2) O cachorro-quente podre por 2,50 é uma pechincha… mas a restauração por 25,00… “Porra dotô, cê tá maluco?! Tudo isso pá pô uma massinha?! Tá enchendo o rabo de dinheiro, hein?!”

E depois de ouvir tudo isso você ainda tem de ser simpático, encher uma maldita luva e fazer de bexiga pro filho dele cheio de remela, que pula feito um macaco no sofá da sua sala de espera, brincar e ainda dizer: “Volte sempre, foi um prazer”, quando na verdade a sua vontade é chutar aquele moleque e cravar um Lecron no olho do pai dele.

3) Pra que se preocupar com parestesias, seios, maxilares, espaço bilógico, conicidades do preparo, trepanações, etc. se vendendo roti-doguis a única iatrogênia que você pode causar ao paciente é uma caganeira temporária que ele nunca vai saber se foi o roti-dogui do seu carrinho ou o pastér di parmito com garapa do dia anterior.

4) Biossegurança… por incrível que pareça, a mesma mão que pega o dinheiro faz o sanduba! Não é necessário gastar R$ 3.000,00 numa autoclave para esterelizar o pegador de salsichas.

5) A maionese, o purê de batatas, as salsichas são muito mais baratos que alginato, siliconas e resinas.

6) Não tem que pagar Sindicato dos Dogueiros, nem Associação Paulista dos Roti Dogueiros, nem taxas sobre a maionese, a mostarda e a batata palha.

7) Se a ANVISA aparecer, a única coisa que você vai ter de fazer é lavar o seu carrinho com cloro e comprar salsichas, batatas e maioneses dentro do prazo de validade. Não vai ter de gastar uma fortuna com proteções para Raio-x, caixas descarpack, etc., etc. etc…

8) Vendendo roti-doguis você estará preenchendo as cavidades abertas e as bolsas periodontais do seus clientes com a massa do sanduba na hora do almoço, já que ele tem de comer rapidinho que tem consulta marcada no dentista para as 13:30h e não vai dar tempo nem de escovar o dente… mas foda-se, o ladrão filho da puta cobra 25,00 pra por uma massinha…

Chifre em cabeça de cobra

No consultório o psiquiatra entra em sua sala e encontra um homem no chão que se arrasta de quatro com algo na boca. O psiquiatra indaga:

– Ah! Olha quem veio aqui hoje? É um gatinho?

O homem olha pra ele e em silêncio rasteja para outro canto. O médico continua:

– Um cachorro?

Ele se rasteja até embaixo da mesa do médico e fica puxando um fiozinho que sai de um buraquinho da parede…

O médico então se senta na sua poltrona e diz:

– Ok. Acho que realmente é um gato. Quer conversar sobre isso?

O cara tira da boca um rolo de fita isolante e diz…

– Olha doutor, hoje eu tive um dia cheio e o senhor ou para de me encher o saco ou não instalo mais essa merda de internet aqui no seu consultório!