Última ceia

ULTIMA CEIA
Era noite do dia 31 de dezembro de 1999. Yeltsin, Clinton e Bill Gates foram convidados para um jantar com Deus.
Durante o jantar, Deus explicou o porquê de suas presenças:
– Eu precisava de três pessoas importantes para noticiar algo muito importante à humanidade. Amanhã eu irei destruir o mundo!
Yeltsin, imediatamente, chamou seu gabinete e informou:
– Eu tenho duas más notícias a vos dar: Deus existe e amanhã ele irá destruir a Terra.
Clinton convocou uma reunião urgente com o Senado e o Congresso e disse-lhes:
– Tenho uma boa e uma má notícia: a boa é que Deus realmente existe, a má é que ele vai acabar com o mundo amanhã.
Bill Gates voltou à Microsoft e deu alegremente a notícia:
– Gente, tenho duas maravilhosas notícias para dar: a primeira é que sou uma das três pessoas mais importantes do mundo e a segunda é que o bug do ano 2000 foi resolvido!

Um para mim, outro para você

Um pra mim, um pra você

Em uma cidadezinha do interior havia uma figueira carregada dentro do cemitério. Dois amigos decidiram entrar lá à noite (quando não havia vigilância) e pegar todos os figos. Eles pularam o muro, subiram a árvore com as sacolas penduradas no ombro e começaram a distribuir o ‘prêmio’.

– Um pra mim, um pra você. Um pra mim, um pra você.

– Pô, você deixou esses dois caírem do lado de fora do muro!

– Não faz mal, depois que a gente terminar aqui pega os outros.

– Então tá bom, mais um pra mim, um pra você.

Um bêbado, passando do lado de fora do cemitério, escutou esse negócio de ‘um pra mim e um pra você’ e saiu correndo para a delegacia. Chegando lá, disse ao policial:

– Seu guarda, vem comigo! Deus e o diabo estão no cemitério dividindo as almas dos mortos!

– Ah, cala a boca bêbado!

– Juro que é verdade! Vem comigo!

Os dois foram até o cemitério, chegaram perto do muro e começaram a escutar:

– Um para mim, um para você.

O guarda assustado:

– É verdade! É o dia do apocalipse! Eles estão dividindo as almas dos mortos! O que será que vem depois?

– Um para mim, um para você. Pronto, acabamos aqui. E agora?

– Agora a gente vai lá fora e pega os dois que estão do outro lado do muro.

Correram tanto que ninguém os encontrou jamais…