Vingança doce

“Quando o pâncreas do desafeto é deficiente em insulina, a vingança deve ser ainda mais doce.”
(via @F_R_A_G_A)

Anúncios

A toda velocidade

Fascinado por carros, o sujeito acaba de comprar uma Ferrari.

Louco para testar o seu possante motor, pega uma estrada e logo está quase 200 km por hora. Neste instante, olha pelo retrovisor e vê um camponês numa bicicleta, a poucos metros de sua traseira. Espantado, ele afunda o pé no acelerador e vê o camponês ali, colado.

Momentos depois, boquiaberto, ele vê o sujeito na bicicleta ultrapassa-lo feito uma bala.

Pisa no acelerador novamente, ultrapassa o ciclista, mas logo em seguida, este toma a dianteira.

Irritado, encosta no acostamento, nesta hora o ciclista para ao seu lado e diz, desesperado:

– Graças a Deus o senhor parou! A porcaria do meu suspensório ficou presa no seu retrovisor.

Linhas de raciocínio

Na aula de Matemática, a professora pergunta:
– Joãozinho, se tem 3 passarinhos no galho de uma árvore e você atira com sua espingarda em um deles, quantos passarinhos ficam?
Joãozinho pensou e respondeu:
– Nenhum professora.
– Como nenhum Joãozinho. Se tinham 3 e você matou um, logo ficaram 2.
– Não professora. É que com o barulho da arma os outros dois voaram.
A professora pensou e disse:
– Taí Joãozinho. Gostei da sua linha de raciocínio.
O Joãozinho não perdeu tempo e mandou:
– Professora, posso fazer uma pergunta agora?
– Claro, Joãozinho!
– Havia 3 mulheres tomando sorvete. A primeira estava mordendo o sorvete, a segunda estava lambendo-o e a terceira estava chupando-o. Qual das três era a casada?
A professora pensou, pensou e respondeu:
– A que estava chupando o sorvete.
– Não professora. A que tinha a aliança na mão esquerda! Mas gostei da sua linha de raciocínio…

Dúvida pertinente

A escola leva os seus alunos até uma delegacia para que os alunos aprendam como a polícia trabalha.

Joãozinho vê um cartaz com varias fotos dos assaltantes mais procurados. Ele aponta para uma das fotos e pergunta ao policial:

– Esse bandido é realmente perigoso?

– É sim, filho – responde o guarda. – Os investigadores estão caçando-o já faz oito meses.

Joãozinho responde:

– Por que vocês não o prenderam quando tiraram a foto?

Investigação

O detetive presta contas à cliente:

– Ontem eu segui o seu marido. Ele foi primeiro a um restaurante, depois entrou numa loja, passou num salão de beleza. Em seguida foi a um Shopping, depois foi à uma casa de chá, na sequência à uma casa de jogo de bingo, foi numa boate e depois para um motel.

– Mas que cafajeste! – protesta a mulher. – Eu mato esse desgraçado! Diga-me em detalhes o que ele fez em cada um destes lugares.

– Bem… não fez nada. Acho que só estava seguindo a senhora!