Registrando o filho

Um flamenguista fanático chega em um cartório para registrar seu filho que acabara de nascer. O oficial pergunta:

– Que nome o sr. quer colocar em seu filho?

E o flamenguista:

– Arquibancada do framengo!

O cara se espanta e diz logo:

– De maneira nenhuma, o sr. não pode registrar seu filho com esse nome, além de ridículo é ilegal!

– Como ilegal? Eu quero esse nome e pronto!

– Mas não pode, de onde o sr. tirou essa ideia?

– Copiei de um vizinho meu que colocou o nome do filho dele de Geraldo Botafogo.

Anúncios

Curso Futebol p/ mulheres

1. Nunca grite PENALTI quando um jogador for derrubado no meio de campo. Isso irrita seu amo e senhor. O pênalti só acontece quando o jogador é derrubado na grande área (isso mesmo, dentro daquela linha branca que tem a forma de um retângulo e tem um meio círculo em cima).

2. Nunca pergunte porque nunca ninguém passa a bola para o homem de preto. O homem de preto é o juiz. É ele quem dita as regras do jogo. Por isso que ele fica com o apito na boca, viu? Essa já era uma questão difícil antes para as mulheres, e que agora esta mais complicada p/ elas, pois o juiz está utilizando camisas de várias cores (vermelhas, amarelas, cinzas e pretas são as mais comuns atualmente).

3. Nunca dê escândalo quando um jogador de seu time estiver caído no chão e rolando. Ele provavelmente está fazendo cera, ou seja, tentando atrasar o jogo.

4. Nem sempre que um jogador do seu time chuta a gol quer dizer que vai haver um gol. Então, evite gritos irritantes.

5. A lei do impedimento é ainda muito complexa para a compreensão das mulheres. Sempre que houver um lance que foi paralisado sem que você entendesse a razão, a chance de ser um impedimento é de 89%.

6. Quando o time adversário fizer um gol, ou seu time estiver perdendo, evite fazer comentários imbecis e irritantes contra seu time, o técnico ou o juiz. O seu senhor já deve estar aborrecido o suficiente e não deve estar disposto a aguentar seus comentários pouco fundamentados.

7. Depois da partida, evite discutir futebol com seu marido. O verdadeiro homem (o machão) sabe de sua superioridade e não aceita discutir futebol com mulher. Se ele aceitar discutir futebol, e ainda aceitar suas idéias e argumentos, pode ter certeza: seu marido é um frouxo e um banana.

8. Conclusão: não gaste os poucos neurônios que você tem tentando entender o futebol. Esse esporte é essencialmente masculino e sua compreensão carece de uma inteligência superior. Se você pretende que o futebol una você ao seu homem, a coisa mais sensata a fazer é buscar a cerveja de seu marido e os tira-gostos sem reclamar.

(espero que minha esposa não veja esse post…)

Semelhanças

No futebol, como no sexo, as pessoas suam ao mesmo tempo, avançam e recuam, quase sempre vão pelo meio, mas também caem para um lado ou para outro e, às vezes, há um deslocamento. Nos dois é importantíssimo ter jogo de cintura.

No sexo, como no futebol, muitas vezes acontece um cotovelo no olho sem querer, ou um desentendimento que acaba em expulsão. Aí um vai para o chuveiro mais cedo.

Dizem que a única diferença entre uma festa de amasso e a cobrança de um escanteio é que na grande área não tem música, porque o agarramento é o mesmo… e no escanteio também tem gente que fica quase sem roupa.

Também dizem que uma das diferenças entre o futebol e o sexo é a diferença entre camiseta e camisinha. Mas a camisinha, como a camiseta, também não distingue; ela tanto pode vestir um craque como um medíocre.

No sexo, como no futebol, você amacia no peito, bota no colo, cadencia e tem que ter uma explicação pronta na saída para o caso de não dar certo.

No futebol, como no sexo, tem gente que se benze antes de entrar e sempre sai ofegante.

No sexo, como no futebol, tem o feijão com arroz, mas também tem o requintado, a firula e o lance de efeito.

No sexo também tem gente que vai direto no calcanhar. E tanto no sexo quanto no futebol, o som que mais se ouve é aquele “uuu”.

No fim, sexo e futebol só são diferentes mesmo, em duas coisas… No futebol não pode usar as mãos. E o sexo, graças a Deus, não é organizado pela CBF.

(Luís Fernando Veríssimo)