O papagaio e o wisky

Nervoso com a turbulência, o sujeito, todo educado, pede pela quinta vez para a aeromoça lhe trazer um wisky, mas ela continua fingindo que não o ouve.

Sentado ao seu lado, o papagaio comenta:

— Você está sendo gentil demais com a moça! Mulher gosta de ser maltratada! Quer ver só?

E assim que a aeromoça passa pelo corredor, o papagaio grita:

— Ô, sua filha de uma puta, me traz logo um copo de wisky com bastante gelo!

Dois minutos depois ele é atendido.

— Viu como funciona?

O sujeito torna a fazer o seu pedido, educadamente e nada.

Dez minutos depois o papagaio, de novo:

— Aí, sua vagabunda do caralho! Não está vendo que o meu copo está vazio? Traz lá mais uma dose dessa porra de wisky, sua piranha!

Um minuto depois o copo do papagaio está cheio novamente.

Aí o sujeito perde a paciência.

— Escuta aqui, sua vaca! Traz uma dose de wisky pra mim também senão eu vou lhe enfiar um cacete nesse teu rabo fedido!

Dois minutos depois a aeromoça volta acompanhada de dois seguranças que pegam o passageiro pelo colarinho, abrem a porta do avião e o atiram a dois mil metros de altura.

Antes de cair, ele ainda ouve o papagaio comentar:

— Pra quem não voa, este cara é muito folgado, não é?

Anúncios

Incógnito

Dia de prova na faculdade, 100 alunos na sala, professor chato, impaciente e louco pra ir embora.

– Dez em ponto a prova termina, e quem não entregar até esta hora não entrega mais! – diz o professor.

As 10:10, um aluno corre com a prova na mao até a mesa do professor que arrumava as coisas pra ir embora.

– Eu avisei que não aceitaria provas fora do horário! Esqueça!

O aluno, com ar de autoritarismo, perguntou:

– Você sabe com quem está falando?

A resposta do professor tinha um certo sarcasmo:

– Não, não faço a menor ideia.

Empinando mais o nariz, o aluno tornou a repetir:

– Tem certeza disso?

– Absolutíssima! – respondeu o professor.

O aluno levantou a imensa pilha de provas, enfiou a dele no meio, deu uma embaralhadinha e disse:

– Então descobre, seu pentelhão…

A herança de Salim

Deitado em seu leito de morte, Salim chama o seu filho mais velho, tira um antigo relógio do bolso com dificuldade e diz:
– Filho… Está vendo este relógio aqui?
– Sim, papai… – responde o filho, com lágrimas nos olhos.
– Ele era do meu bisavô! – continuou o pai – Depois ele foi passado para o meu avô… depois para o meu pai… depois para mim… e agora chegou a sua vez… Quer comprar?

Mentir só por uma causa nobre

Sempre dizer a verdade é importante e pensar nas consequências também. Se você mentir é melhor ter uma excelente razão.

Um dia um carpinteiro buscava madeira cortando o galho de uma árvore ao lado de um rio e seu machado caiu dentro do rio. O infeliz carpinteiro suplica a Deus que lhe aparece e pergunta:

– Por que você está chorando?

O carpinteiro responde que seu machado havia caído no rio e Deus entra no rio do qual tira um machado de ouro e pergunta:

– É este seu machado?

O nobre carpinteiro responde:

– Não Deus, não é esse.

Deus entra novamente no rio e desta vez tira um machado de prata.

– E este é seu?

– Também não – responde o carpinteiro.

Deus volta ao rio e tira um machado de madeira e pergunta:

– É este teu machado?

– Sim – responde o carpinteiro. Deus estava contente com a sinceridade do carpinteiro e o mandou de volta pra casa dando-lhe os 3 machados de presente.

Um dia, o carpinteiro e sua esposa estavam passeando nos campos quando ela tropeçou e caiu no rio. O infeliz carpinteiro suplica a Deus que aparece e pergunta:

– Por que você está chorando?

O carpinteiro responde que sua esposa caiu no rio e imediatamente Deus mergulha e tira a Luana Piovani do rio e pergunta:

– É esta sua esposa?

– Sim, sim – responde o carpinteiro e Deus se enfurece.

– Mentiroso!!! – exclama.

E o carpinteiro rapidamente se explica:

– Deus, me perdoe, foi um mal entendido. Se eu dissesse que não, então o Senhor me tiraria a Ana Paula Arósio do rio, depois se eu dissesse que não era ela o Senhor tiraria minha mulher e quando eu dissesse ‘sim’ então o Senhor mandaria eu ficar com as 3. Mas eu sou um humilde carpinteiro e não poderia manter as 3, só por isso eu disse ‘sim’ para a primeira delas.

E Deus o perdoou.

Moral da história
Os homens só mentem por causas nobres e com boas intenções!

O Sapo Falante

Uma garota estava andando pela floresta quando de repente encontrou um sapo falante.
– Ei garota! – disse ele – Por favor! Me dê um beijo! Eu sou um lindo príncipe e fui transformado em um sapo por uma bruxa malvada! Me ajude a voltar a ser gente e eu te darei o que quiser! Meu reino, minha fortuna, o que você quiser, minha donzela!
Então a moça pegou o sapo na mão, ficou olhando e colocou-o dentro da bolsa.
– Ei, ei! – gritou o sapo, aflito – E o meu beijo?
– Que mané beijo, cara! – respondeu ela – Eu vou lá confiar em promessa de marmanjo? Vou é faturar uma grana com um sapo falante!