Mentira

Estava uma velhinha descansando com seu gato na cadeira de balanço na sacada da casa, refletindo sobre sua longa vida, quando – de repente – uma fada surge na frente dela e a informa que ela tem direito a três desejos.

– Bom…, – diz a velhinha – creio que eu gostaria de ser muito rica.

Pufff, a cadeira de balanço dela se transforma em puro ouro.

– Uau, eu acho que eu não me importaria de ser uma jovem e bonita princesa.

Puff, ela se transforma numa jovem e bonita mulher.

– E o seu terceiro desejo? – pergunta a fada pra ex-velhinha.

– Bom, você poderia transformar meu gato num formoso príncipe?

Puff, e diante dela está um jovem varão mais formosa que qualquer um poderia imaginar.

A ex-velhinha fica embasbacada olhando pro ex-gato, agora ator da Globo.

Então, com um sorriso de afrouxar os joelhos de qualquer mulher, o rapaz se aproxima e sussurra no ouvido da ex-velhinha:

– Garanto que agora você se arrepende de ter me mandado castrar…

Anúncios

Mentira

O fazendeiro resolve trocar o seu velho galo por outro que desse conta das inúmeras galinhas.
Ao chegar o novo galo e, percebendo que perderia suas funções, o velho galo foi conversar com o seu substituto:
– Olha, sei que ja estou velho e é por isso que meu dono o trouxe aqui, mas será que você poderia deixar pelo menos duas galinhas para mim?
– Que é isso, velhote?! Vou ficar com todas.
– Mas só duas… – ainda insistiu o galo.
– Não. Já disse! São todas minhas!
– Então vamos fazer o seguinte: – propõe o galo velho – apostamos uma corrida em volta do galinheiro. Se eu ganhar, fico com pelo menos duas galinhas. Se eu perder, são todas suas. O galo jovem mede o galo velho de cima abaixo e pensa que certamente ele não será capaz de vencê-lo:
– Tudo bem, velhote, eu aceito.
– Já que realmente minhas chances são poucas, deixe-me ficar vinte passos a frente. – pediu o galo.
O mais jovem pensou por uns instantes e aceitou as condições do galo velho. Iniciada a corrida, o galo jovem dispara para alcançar o outro galo. O galo velho faz um esforço danado para manter a vantagem, mas rapidamente está sendo alcançado pelo mais jovem.
No momento em que o mais velho ia ser alcançado pelo mais novo, o fazendeiro pega sua espingarda e atira sem piedade no galo jovem.
Guardando a arma, comenta com a mulher:
– Num tô intendendo, uai! Já é o quinto galo viado que a gente compra esta semana!

Burro

Era uma vez 4 garotinhos, que foram ao campo e compraram de um velho camponês um burro por R$ 100. O senhor combinou e entregar-lhes o animal no dia seguinte. Porém, no dia da entrega o camponês lhes disse:
– Sinto muito amigos, mas tenho uma má notícia. O burro morreu.
– Então devolva-nos o dinheiro!
– Não posso, já o gastei todo.
– Então, de qualquer forma, queremos o burro.
– E para que o querem? O que vão fazer com ele?
– Nós vamos rifá-lo.
– Estão loucos? Como vão rifar a um burro morto?
– Obviamente não vamos dizer a ninguém que ele está morto.
Um mês depois, o camponês se encontrou novamente com os quatro garotos e lhes perguntou:
– E então, o que aconteceu com o burro?
– Como lhe dissemos, o rifamos. Vendemos 500 números a R$ 2 cada um; e arrecadamos R$ 1.000.
– E ninguém se queixou?
-Só o ganhador, porém lhe devolvemos os R$ 2 e pronto.