O cavalo

O sujeito estava lendo tranquilamente o seu jornal, quando a mulher lhe dá com a frigideira na cabeça.

– Você está maluca? – reagiu ele, furioso.

– Isso é pelo bilhete que eu encontrei no bolso da sua calça, com o telefone de uma tal de Marilu.

– Mas, querida… Isso foi no dia que eu fui a corrida de cavalos. Marilu foi o cavalo que eu apostei e o numero era o valor total das apostas…

A mulher ficou toda desconcertada e desdobrou-se em desculpas.

Dias depois, ele estava novamente lendo o seu jornal e PIMBA, leva outra frigideira na cabeça.

– O que foi agora, querida? – protestou ele.

– O seu cavalo está no telefone…