Os verdadeiros programadores

OS VERDADEIROS PROGRAMADORES

Os verdadeiros programadores nunca chegam na hora ao trabalho: a simples noção de horário é um freio considerável à “ingeniosidade” e à criação de que devem usar em seu trabalho.

Dentro de uma empresa os verdadeiros programadores são confinados num gueto chamado “Departamento de Informática” ou algo no gênero. Motivo oficial: dar-lhes a oportunidade de trabalhar em paz; motivo oficioso: não lhes dar oportunidade de paquerar as jovens secretárias de mini-saia, estas sendo caça reservada aos jovens tubarões de dentes compridos que são chamados “jovens executivos dinâmicos”.

Os verdadeiros programadores nunca usam gravata. Se por acaso resolvessem usar, por diminuir o fluxo de oxigênio ao cérebro, eles se tornariam imediatamente maus programadores e, a médio prazo, respeitados executivos… De qualquer modo, os verdadeiros programadores não usam camisa.

Os verdadeiros programadores nunca usam paletó. Por limitar de modo considerável os movimentos dos membros superiores, este acessório de vestuário lhes impediria fazer gestos bruscos e violentos quando se dão conta de que o programa sobre o qual passaram longas semanas de trabalho intensivo não está funcionando.

Os verdadeiros programadores não usam calça elegante. Preferem a calça jeans que lhes foi dada na Primeira Comunhão que, bem suja e desbotada, é muito mais prática para enxugar o suor de suas mãos quando lhes dão para fazer um verdadeiro programa COBOL.

Os verdadeiros programadores não engraxam seus sapatos. De qualquer modo, nunca se viu engraxar um Nike Air.

Os verdadeiros programadores nunca arrumam sua mesa; eles espalham um monte de rascunhos sobre os quais eles rabiscaram coisas incompreensíveis, o que dá a impressão ao chefe que eles estão fazendo programação estruturada. Pensando bem, uma mesa arrumada é marca registrada de funcionário público, já que eles só têm isso para fazer o dia todo.

Os verdadeiros programadores preferem trabalhar na Zona Norte, porque lá é autorizado fumar. Porque o verdadeiro programador fuma, e no mínimo três maços por dia. Ele acha que um cinzeiro cheio dá um tom pitoresco a sua mesa. Ademais, a sala enfumaçada tende a afastar os executivos furibundos que vêm cobrar o programa e que não querem que seu terno Hugo Boss novo tenha cheiro de fumaça. Na verdade, o verdadeiro programador só irá para de fumar o dia em que Bill Gates comprar a Philip Morris.

Os verdadeiros programadores usam cabelos compridos e sujos, porque, quando eles chegam no trabalho, preferem ser confundidos com o pessoal da limpeza do que com os executivos.

Os verdadeiros programadores não têm maleta: sua cabeça é suficiente para transportar seus conhecimentos.

Os verdadeiros programadores não têm celular. Não gostam que os chamem o dia todo. Aliás, os verdadeiros programadores só têm como amigos outros verdadeiros programadores, que geralmente estão na mesma sala.

Os verdadeiros programadores não gostam de linguagens visuais; estas linguagens foram criadas para que maus programadores possam eles também desenvolver aplicativos consumidores de memória e tempo de processamento, e sim no objetivo de vender o máximo de Pentium III.

Os verdadeiros programadores, por outro lado, sabem fazer esses aplicativos rodarem num XT… Aliás, nem sabem que já foi inventado o Pentium.

Os verdadeiros programadores detestam o HTML, esta linguagem que até o MacIntosh entende, destinada a não-programadores afim de lhes dar a impressão que são verdadeiros programadores. Se tiverem de desenvolver um site na Internet, os verdadeiros programadores utilizarão o Java, que, estando mais próximo do C, lhes dará a impressão de fazer programação de sistema quando estão, na realidade, desenvolvendo um site pornô.

Eutanásia

EUTANÁSIA

Ontem, minha esposa e eu estávamos sentados na sala, falando das muitas coisas da vida. Estavamos falando de viver ou morrer. Eu lhe disse: “nunca me deixes viver em estado vegetativo, dependendo de máquina e líquidos. Se você me vir nesse estado,desliga tudo oque me mantém vivo, sim?”

Ela se levantou, desligou a televisão e jogou minha cerveja fora.

Quando você passa dos 50

QUANDO VOCÊ PASSA DOS 50

1 – Os seqUestradores não se interessam muito mais por você.

2 – De um grupo de reféns, provavelmente será um dos primeiros a ser libertado.

3 – Ninguém espera que você corra para dentro de um edifício pegando fogo.

4 – As pessoas lhe telefonam às nove da manhã e perguntam: “te acordei?”

5 – Ninguém mais o considera hipocondríaco.

6 – Não há mais nada o que aprender pelo jeito mais duro.

7 – As coisas que comprar agora não chegarão a ficar velhas.

8 – Você pode, numa boa, jantar às seis da tarde.

9 – Você pode viver sem sexo, mas não sem os óculos.

10 – Você curte ouvir histórias das cirurgias dos outros.

11 – Você discute apaixonadamente sobre planos de aposentadoria.

12 – Você dá uma festa e os vizinhos nem percebem.

13 – Você deixa de pensar nos limites de velocidade como um desafio.

14 – Você pára de tentar manter a barriga encolhida, não importa quem entre na sala.

15 – Você cantarola junto com a música do elevador.

16 – A sua vista não vai piorar muito mais.

17 – O seu investimento em planos de saúde finalmente começa a ter valido a pena.

18 – As suas articulações passam a ser mais confiáveis do que o serviço de meteorologia.

19 – Seus segredos passam a estar bem guardados com seus amigos, porque eles os esquecem.

20 – Você não consegue se lembrar quem foi que lhe mandou esta lista.

21 – Sua mulher diz “vamos subir e fazer amor”, e você responde: “escolha uma coisa ou outra, não vou conseguir fazer as duas!”.

22 – Você recebe aquele olhar de um mulheraço, e o seu marcapasso abre a porta da garagem.

23 – As rugas somem do seu rosto quando você está sem sutiã.

24 – Você não quer nem saber onde seu cônjuge vai, contanto que não tenha que ir junto.

25 – Você é avisado para ir devagar pelo médico, e não pelo policial.

26 – “Funcionou” significa que você hoje não precisa ingerir fibras.

27 – “Que sorte!” significa que você encontrou seu carro no estacionamento.

28 – “Uma noite e tanto” significa que você não teve que se levantar para fazer xixi.