Seguro

Um advogado e um engenheiro estão pescando no Caribe. O advogado comenta:

– Estou aqui porque minha casa foi destruida num incêndio com tudo o que estava dentro. O seguro pagou tudo.

– Que coincidência! – diz o engenheiro – Minha casa também foi destruída num terremoto e perdi tudo.

E o seguro pagou tudo.

O advogado olha intrigado para o engenheiro e pergunta:

– Como você faz para provocar um terremoto?

Registros Oficiais

As falas a seguir foram realmente proferidas por advogados e tiradas de registros oficiais de tribunais. Com toda a justiça aos pobres advogados aqui imortalizados como completos idiotas, o leitor deve saber que os datilógrafos transcrevem tudo o que e dito, de forma que a menor inadvertência fica em registro para a posteridade. Ai vai:

(1)
– Foi este o mesmo nariz que você quebrou quando criança?

(2)
– Então, doutor, não é verdade que quando uma pessoa morre durante o sono, na maioria dos casos ela o faz de maneira calma e não se dá conta de nada até a manhã seguinte?

(3)
– O que aconteceu depois?
– Ele me disse: “Tenho que te matar porque você pode me identificar no tribunal”.
– Ele o matou?

(4)
– Foi você ou seu irmão que morreu na guerra?

(5)
– O filho mais jovem, o de 20 anos, quantos anos ele tem?

(6)
– O que significa a presença de esperma?
– Significa relação consumada.
– Esperma masculino?
– É o único que eu conheço.

(7)
– Vou mostrar a “prova três” e peço que reconheça a foto.
– Este sou eu.
– Você estava presente quando esta foto foi tirada?

(8)
– Você estava presente a este tribunal esta manhã quando fez o juramento?

(9)
– Então, Sr. Johnson, como o seu casamento acabou?
– Por morte.
– E ele acabou pela morte de quem?

(10)
– Há quanto tempo você está grávida?
– Vai completar três meses no dia oito de novembro.
– Então, aparentemente, a data da concepção foi oito de agosto.
– Sim.
– E o que você estava fazendo?

(11)
– Sra. Jones, a senhor. se considera emocionalmente equilibrada?
– Eu era.
– E quantas vezes a senhora cometeu suicídio?

(12)
– Quer dizer que, quando você voltou, você tinha saído?

(13)
– Ela tinha três filhos, certo?
– Sim.
– Quantos meninos?
– Nenhum.
– Tinha alguma menina?

(14)
– Você não sabe o que era, nem com o que se parecia, mas você pode descrever?

(15)
– Você disse que a escada descia para o porão. Essa escada, ela também subia?

(16)
– O senhor está qualificado a apresentar uma amostra de urina?
– Sim, desde criancinha.

(17)
– O sr. se lembra aproximadamente a hora em que examinou o corpo do Sr. Brown?
– Foi à noite. A autópsia começou em torno das 20h30.
– E o Sr. Brown estava morto aquele momento, certo?
– Não, ele estava sentado na mesa tentando imaginar por que era que eu estava fazendo uma autópsia nele!

(18)
– Qual e a data do seu nascimento?
– 15 de julho.
– Que ano?
– Todo ano.

(19)
– Essa doença, a miastenia gravis, afeta sua memória?
– Sim.
– E de que modo ela afeta sua memória?
– Eu esqueço das coisas.
– Você esquece… Pode nos dar um exemplo de algo que você tenha esquecido?

(20)
– Que idade tem seu filho?
– 38 ou 35, não me lembro.
– Há quanto tempo ele mora com você?
– Há 45 anos.

(21)
– Qual foi a primeira coisa que seu marido disse quando acordou naquela manhã?
– Ele disse, “Onde estou, Betty?”
– E por que você se aborreceu?
– Meu nome é Susan.

(22)

– Poderia descrever o suspeito?
– Ele tinha estatura mediana e usava barba.
– E era um homem ou uma mulher?

(23)
– Doutor, quantas autópsias o senhor já realizou em pessoas mortas?

(24)
– Aqui na corte, para cada pergunta que eu lhe fizer, sua resposta deve ser oral, ok?
– Que escola você frequenta?
– Oral.

(25)
– Doutor, antes de fazer a autópsia, o senhor checou o pulso da vitima?
– Não.
– O senhor checou a pressão arterial?
– Não.
– O senhor checou a respiração?
– Não.
– Então, e possível que a vitima estivesse viva quando a autopsia começou?
– Não.
– Como o senhor pode ter essa certeza?
– Porque o cérebro do paciente estava num jarro sobre a mesa.
– Mas ele poderia estar vivo mesmo assim?
– Sim, é possível que ele estivesse vivo e exercendo Direito em algum lugar!

Você é ético?

Este é um teste para sua auto-avaliação.

Responda a pergunta final com sinceridade e então poderá auto-avaliar sua moral. Trata-se de uma situação imaginária. Você deve decidir sobre uma atitude a ser tomada baseada em duas alternativas possíveis.

Caso:

Você está em São Paulo , em meio aos terríveis momentos de enchentes que normalmente ocorrem na cidade em épocas de chuvas mais intensas.

Você é um repórter fotográfico que trabalha para a CNN e está desesperado em meio ao caos (pessoas pedindo socorro, carros sendo arrastados pela correnteza) e tirando as fotos mais impactantes.

A água cobre a principal via de trânsito e envolve pessoas e veículos. de repente, em meio ao caos, você vê num jipe o Lula, o José Dirceu e o Delúbio. Eles lutam, desesperadamente, para não serem arrastados pela correnteza, que segue direta para um enorme buraco que a tudo engole, entre lama, lixos, pedras. E eles estão sendo arrastados inexoravelmente. Você tem a oportunidade única de resgatá-los.

Mas tem também a oportunidade única de tirar uma fotografia jornalística, seguramente ganhadora do Prêmio Pulitzer, que te faria famoso no mundo inteiro, ao mostrar o flagrante inédito DA MORTE de tão famosos políticos.

Não dá para titubear e nem fazer as duas coisas: salvar e fotografar.

Pergunta:

Baseado em seus princípios éticos e morais, na fraternidade e solidariedade humanas, que devem ser o forte das pessoas generosas, responda sinceramente:

VOCÊ FARIA A FOTO EM PRETO E BRANCO OU COLORIDA?

O álcool e a lógica

Uma manada de búfalos se move com a velocidade do búfalo mais lento… Quando a manada é caçada, são os búfalos mais fracos e lentos, em geral doentes, que estão atrás do rebanho, que são mortos primeiro. Esta seleção natural é boa para a manada como um todo, porque aumenta a velocidade média e a saúde de todo o rebanho pela matança regular dos seus membros mais fracos.

De um jeito muito parecido, o cérebro humano pode funcionar apenas tão depressa quanto seus neurônios mais lentos. Beber álcool em excesso, como sabemos, mata neurônios. Naturalmente, são os neurônios mais fracos e lentos que morrem primeiro.

Neste caso, o consumo regular de cerveja elimina os neurônios mais fracos, tornando seu cérebro uma máquina mais rápida e eficiente! E ainda: 23% dos acidentes de trânsito são provocados pelo álcool. Isto significa que 77% dos acidentes são provocados por pessoas que bebem água.

E ainda fazem campanhas contra o álcool…

O médico e o advogado

Um médico e um advogado encontram-se em uma festa.

– Frequentemente eu sinto terríveis dores de cabeça – comenta o advogado, a certa altura da conversa. – o senhor poderia me dizer qual remédio devo tomar?

Meio a contragosto, o médico respondeu à pergunta do advogado e em seguida perguntou-lhe:

– Como você lida com as pessoas que lhe pedem conselhos profissionais durante uma festa?

– É fácil – disse o advogado. – Eu lhe mando a conta no dia seguinte.

No outro dia, através de um mensageiro, o médico enviou uma conta de quinhentos e cinquenta reais ao advogado.

Pouco depois, ao saber que o menino trouxera o dinheiro, ele ficou todo feliz! Mas sua alegria não durou muito, pois junto com o dinheiro, havia um bilhete do advogado que dizia: “O meu conselho ficou em mil reais!”